José Mendes

José Mendes

Citius, Altius, Fortius - Communiter

A minha história de amor com os Jogos Olímpicos começou em 1976. No dia 26 de julho, a partir de Peniche onde estava de férias, acompanhei a final da corrida dos 10 mil metros do Jogos de Montreal, no Canadá. Carlos Lopes era a força da natureza que nos representava e foi igual a si próprio. O ritmo lento inicial não lhe convinha e fez o que tinha de ser feito, tomando a dianteira aos três quilómetros e deixando, volta após volta, todos os seus concorrentes para trás. Todos menos um! Lasse Virén, o finlandês voador, arrancou nos últimos 450 metros para uma vitória inquestionável.

Opinião

A lei europeia do clima

A agenda mediática não tem dado folga. Entre o recrudescimento da pandemia, pela negativa, e o europeu de futebol, pela positiva, sobra pouca atenção para outros factos, ainda que igualmente importantes. É a regra cruel das ondas noticiosas, que se desenvolvem em espirais autoalimentadas, remetendo para a sombra tudo o resto. Esta semana, passou despercebida a aprovação da Lei do Clima pelo Parlamento Europeu, aquela que é considerada "a lei das leis" por Frans Timmermans, o responsável da política climática da União.

José Mendes

O valor dos "rankings"

O Sporting Clube de Portugal foi campeão da Primeira Liga de futebol profissional. Está de parabéns e é consensual que mereceu o título, porque foi a melhor equipa quando se fizeram as contas finais, segundo uma métrica que é uma medida objetiva de mérito absoluto: o número de pontos, atribuindo 3 à vitória, 1 ao empate e 0 à derrota. A classificação final mais não é do que um ranking, uma ordenação dos clubes participantes de acordo com um critério.

José Mendes

Ação climática global ao rubro

O mundo está à beira do abismo! Foi assim que António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, definiu o desafio que as alterações climáticas colocam ao nosso planeta esta semana, na cimeira de líderes organizada pelos Estados Unidos para debater o tema. E foi mais longe, ao defender que existia o risco de a pandemia de covid desfocar os países e as suas lideranças de um combate que teria de estar já a acontecer, de forma a trazer os níveis de aquecimento global para patamares consentâneos com uma vida sustentável.

Opinião

Suez, Panamá e outros nós górdios

Em nome da Companhia de Suez, dou a primeira pancada de alvião neste terreno que abrirá às raças do Oriente a civilização do Ocidente." Estas foram as palavras de Ferdinand de Lesseps, o empresário francês que liderou a construção do Canal do Suez, proferidas sobre o deserto onde, 10 anos depois, a obra haveria de nascer. A citação é de Eça de Queirós, um dos raros portugueses que assistiram à inauguração, em 17 de novembro de 1869, numa das suas quatro crónicas em forma de carta, publicadas neste nosso Diário de Notícias entre os dias 18 e 21 de janeiro do ano seguinte.

José Mendes

Silicon Valley europeu

É sabido que as reviravoltas são tão mais difíceis de operar quanto maior for o atraso. Assim acontece no futebol, mas também no mundo das empresas. Com a pandemia e a guerra dos ventiladores, a Europa foi surpreendida pela insuficiência da sua autonomia industrial. O tema ganhou tração e amplitude, trazendo para a esfera de preocupação dos decisores políticos o atraso do Velho Continente não só na produção de equipamentos, mas também em áreas tecnológicas como o digital. Com as luzes de alarme a piscar, a Europa dá sinais de querer sair deste torpor.

José Mendes

"Ainda por aqui ando"

Bucareste, junho de 2019. Aterro no aeroporto internacional para participar no Conselho Europeu do dia seguinte. Como tinha um par de horas de folga, resolvi ir à Sala Polivalente do Dínamo assistir ao jogo de andebol que opunha a Roménia a Portugal e que era decisivo para nos apurar para o Europeu de 2020. Chego em cima do intervalo. À passagem da equipa a caminho do balneário, desço junto do campo e grito "Humberto." E ali estava ele, um dos nossos guarda-redes, com o seu largo sorriso. Aproximou-se e respondeu-me: "Ainda por aqui ando, professor!"