Jorge Fonseca de Almeida

Jorge Fonseca de Almeida

Aumentar a produtividade pelo crescimento dos salários

A produtividade do trabalho aferida como a produção média de uma hora de trabalho em cada país é uma medida do grau de sofisticação e especialização das diversas economias. Ela não mede o esforço colocado pelo trabalhador, mede antes em que setores a economia se concentra e o grau de mecanização e digitalização da economia. Um cavador energético e esforçado não consegue competir com um trabalhador preguiçoso e sonolento da agricultura moderna com rega automática e doseada e com tratores e maquinaria de ponta.

Jorge Fonseca de Almeida

O que aí vem: a tempestade perfeita

Sopram ventos gélidos de vários quadrantes. Da Europa Central levanta-se uma quinta vaga pandémica que avança para ocidente, nos Estados Unidos a inflação cresce alastrando pelo mundo, no setor da energia os preços disparam, e o mercado de futuros sinaliza que o preço do gás, com o qual se produz eletricidade, só voltará aos níveis pré-pandemia em 2025, a mão-de-obra escasseia nos países centrais, o clima continua a aquecer e não resta muito tempo para agir. Se esta não é a tempestade perfeita que grão de poeira lhe falta para o ser?

Opinião

Rebentou a bolha

Pelo segundo ano consecutivo Portugal recebeu a final da Liga dos Campeões a maior e mais importante competição entre clubes de futebol da Europa. Trata-se de novidade absoluta. Normalmente este jogo realiza-se em países diferentes todos os anos. Contudo com a pandemia mais nenhum país esteve interessado em receber tal final. Neste contexto o atrativo financeiro do evento reduzia-se e o risco para a saúde pública aumentava. Portugal chegou-se à frente e aceitou o que os outros não queriam. Uma decisão que nos apouca na cena internacional.