João Almeida Moreira

João Almeida Moreira

A noivinha do Aristides

Quem se lembra do "senhor do adeus", figura lisboeta que, para matar o tédio, acenava aos automóveis no meio da rua em troca de saudações? Pois o Brasil também já tem um "senhor do adeus". Chama-se Jair e, como está entediado por que o país a que preside não tem nenhum problema económico ou sanitário grave, decidiu passar a manhã de segunda-feira à beira da Via Dutra, a autoestrada que liga o Rio de Janeiro a São Paulo, a dizer adeus aos carros.

João Almeida Moreira

Mau de ver

No último dia 9, Jair Bolsonaro esteve no ar na TV Brasil, uma estação pública, por mais de uma hora. Participava de um evento religioso, o Culto Internacional das Igrejas de Anápolis, ao lado do ministro da Educação, Milton Ribeiro, um pastor presbiteriano contrário a métodos anticoncecionais e favorável a castigos físicos a crianças, e do ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, aquele que considera um liquidificador tão perigoso como uma arma de fogo e acha o isolamento social na pandemia tolo porque as pulgas e os passarinhos jamais o respeitarão.