Islão

África

Mata-se na igreja de Fátima, Bangui

Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, em Bangui, capital da República Centro-Africana. Há missa e a igreja está cheia. Neste 1 de maio de 2018 são centenas os fiéis que escutam o padre Albert Toungoumale-Baba. De repente, tiros de metralhadora e granadas. Ao todo, 25 mortos, incluindo o sacerdote. Os atacantes pertencem a um dos grupos saídos do movimento Seleka, constituído por muçulmanos e que se notabilizou em 2013 por derrubar o presidente e lançar uma onda de violência contra os cristãos, 80% dos quase cinco milhões de centro-africanos.

Europa

Douglas Murray: "O sentimento de culpa é uma obsessão dos europeus"

Esteve em Lampedusa, em Lesbos e na fronteira da Hungria com a Sérvia. Testemunhou a chegada e acolhimento de migrantes e de refugiados a uma UE sem saber o que fazer, apesar (ou por causa) do apelo de Angela Merkel. Para este jornalista inglês, a Europa tem de encarar o problema da migração em massa, porque corre sérios riscos. As suas conclusões estão no livro agora publicado em Portugal, A estranha morte da Europa

entrevista DN

"Não vivemos um choque de civilizações, há é uma crise no islão"

O vice-ministro italiano dos Negócios Estrangeiros, Mario Giro, será o orador amanhã na conferência "Conviver: Religiões, Conflitos e Paz" que se realizará na Fundação Gulbenkian, em Lisboa. Também membro da Comunidade de Santo Egídio e seu ex-responsável pelas Relações Internacionais, Giro falou ao DN por telefone a partir de Roma.