Indonésia

Premium

Indonésia

Martunis Ronaldo. De sobrevivente do tsunami a celebridade social

Tinha 7 anos quando foi encontrado com uma camisola da seleção nacional em 2005 e "adotado" pelos portugueses. O menino indonésio tentou ser jogador de futebol (esteve no Sporting) e polícia, mas é a fama de sobrevivente que o tem alimentado. Hoje, aos 22 anos, falou ao DN, ele que é uma estrela nas redes sociais, vai casar-se e pede ajuda ao "amigo" Cristiano Ronaldo.

Opinião

Timor, Indonésia e o sabão azul do padre Melícias

O título do editorial do Jakarta Post no aniversário dos 20 anos do referendo em Timor diz tudo: "O nosso bom vizinho." Aproveitando a efeméride dessa votação de 30 de agosto de 1999 (quase 80% a favor da independência), o jornal indonésio fazia uma avaliação crítica do período de ocupação e em especial da repressão nos dias após se saber o resultado do referendo, mas sobretudo enfatizava a boa relação entre a Indonésia e Timor hoje existente. E a provar essa admirável reconciliação surgiu entretanto o vídeo de B.J. Habibie moribundo a ser abraçado por Xanana Gusmão, com carinho evidente entre eles, um o presidente indonésio que permitiu a autodeterminação da antiga colónia portuguesa no Pacífico, o outro o primeiro presidente de Timor.

Premium

Momento histórico

Referendo foi há 20 anos: a independência de Timor em dez momentos

A alteração do regime político em Portugal não significou a independência a curto prazo para Timor-Leste. Pelo contrário, os timorenses tiveram de pagar um elevado preço para a alcançar. Um preço pago em mortos, combates, fome e destruição, resistência no interior e no exterior. Dez datas para entender uma luta de quase um quarto de século até à certeza da independência.

20 anos da consulta popular

A festa do referendo timorense ficou manchada pela violência das milícias

A independência tornara-se inevitável para Timor-Leste. Mas os militares indonésios e as milícias integracionistas vão tentar uma última jogada: a intimidação pela violência. Não terão sucesso. Mas os dias e as semanas anteriores e seguintes à votação de 30 de agosto de 1999 vão ser vividos numa atmosfera de medo, morte e destruição.