Graça Freitas

Marisa Matias

Fogo amigo

A expressão é eufemística e supostamente refere-se a um engano. Fala-se de fogo amigo para um ataque que vem de dentro, e parece que é o que estamos a assistir em Portugal mesmo antes da paragem sazonal. Senão vejamos. A resposta à crise pandémica trouxe para o centro da política portuguesa a ministra Marta Temido e a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas. Em tempos de enorme incerteza, e não isentas de falhas, tiveram a capacidade de ir respondendo com o que sabiam, gerindo a incerteza e dando respostas de forma clara e corajosa. Essa resposta deu a Costa a popularidade de que tem gozado. É por isso que é tão indigna a mudança de postura de uma parte do partido do Governo que não se coíbe agora de criticar a sua intervenção e de fazer coro com a direita. É esta mudança um acaso? Não parece.

Covid-19

Aumento brutal do número de recuperados. Serão no domingo 17 357

Mais 271 casos novos e 13 mortes nas últimas 24 horas. Recuperados são agora 7705, número que vai aumentar devido a um acrescento de 9652 casos. Marta Temido admitiu falhas nos vencimentos dos enfermeiros e revelou que o Governo não vai testar o Pré-Escolar. Sintra continua a registar novos casos e entra para o grupo dos sete concelhos com mais de mil infetados.

entrevista

Graça Freitas: "As vacinas são para a vida e dão-nos vida"

Explicar os benefícios da vacinação e os riscos da não vacinação são duas prioridades da Direção-Geral da Saúde para 2017. Graça Freitas, subdiretora-geral da saúde, destaca a boa taxa de vacinação que se regista no país, que atribui à qualidade do Programa Nacional de Vacinação (PNV), mas considera que é preciso continuar a informar os utentes sobre o que está em causa quando se fala neste tema. A imunização das crianças começa dentro da barriga das mães - com a vacina contra a tosse convulsa - e é para a vida.