Globo

Hong Kong

Protesto reúne milhares em Hong Kong

Um dia depois da chefe do governo, Carrie Lam, anunciar que a aprovação das emendas à lei da extradição - que permitiriam a extradição para países sem acordo prévio, como é o caso da China continental - foi adiada "indefinidamente", milhares de pessoas voltaram às ruas de Hong Kong. Manifestaram-se "pela liberdade", exigiram a demissão da governante e a retirada definitiva da polémica lei da extradição. O protesto já é considerado o maior das últimas décadas

II Guerra Mundial

Trump, Macron, May e os veteranos. Os 75 anos do Dia D em imagens

Assinala-se esta quinta-feira os 75 anos do desembarque das forças aliadas na Normandia. "Hoje a França não esqueceu aqueles combatentes aos quais devemos a nossa liberdade", afirmou o presidente francês, Emmanuel Macron, no cemitério franco-americano de Colleville-sur-Mer, na Normandia. Também o presidente dos EUA, Donald Trump, e a primeira-ministra britânica, Theresa May, agradeceram aos veteranos da II Guerra Mundial.