filhos

família

Mães que trabalham a tempo inteiro são 40% mais stressadas

Mulheres com empregos a full-time e mais do que um filho têm os níveis mais elevados de stress, concluiu nova pesquisa. Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia de iStock Um grupo de investigadores da Universidade de Manchester recolheu dados de seis mil mulheres. Foram analisados fatores como horários de trabalho, nível hormonal, pressão arterial e episódios de stress anteriores. Concluíram que os níveis de stress crónico são 40 por cento mais elevados entre o grupo de mulheres que têm dois filhos e trabalham em horário completo, por comparação às mulheres que não são mães e que fazem o mesmo [...]

família

Um bom pai faz "como os antibióticos: uma asneira de oito em oito horas"

Do que se queixam as crianças? Quais as suas reclamações? O que não gostam que os pais façam? Estas eram algumas dúvidas que Eduardo Sá tinha antes de preparar o seu mais recente título. O Livro de Reclamações das Crianças reúne protestos e lamentos, compilados pelo psicólogo, especialista em educação parental, que há mais de trinta anos ouve famílias... para tentar ajudá-las a ouvirem-se melhor. Uma conversa em que se falou também de castigos, avós, professores e do poder do sexto sentido. Entrevista de Paulo Farinha | Fotografias de Filipa Bernardo/Global Imagens Este Livro de Reclamações das Crianças nasceu de [...]

família

Como falar da morte às crianças

No Dia dos Mortos - e nos outros que sejam de perda - ajudamo-lo a pensar sobre a melhor forma de explicar a morte às crianças. Texto de Ana Pago | Fotografias da Shutterstock VERDADE A morte é sempre um assunto difícil de abordar. «Até com os adultos, quanto mais com as crianças, mas falar sobre ela é uma forma de atenuar a ansiedade que nos provoca», diz Teresa Andrade, psicóloga clínica e professora associada no Instituto Universitário Egas Moniz. O melhor é falar abertamente quando percebemos que o desfecho se aproxima, com verdade, tendo em conta a sua idade [...]

Opinião

Avaliação da parentalidade: não existem bolas de cristal

«É o pai/mãe competente para exercer a parentalidade?» «Que tipo de vínculos afectivos estabeleceu o pai/mãe com a criança?» «Existe algum indicador de que o pai/mãe possa não satisfazer todas as necessidades da criança.» «Observa-se algum comportamento maltratante ou negligente por parte deste pai/mãe?» Estas e outras questões são colocadas pelo sistema judicial em processos de promoção e protecção, processos de regulação do exercício das responsabilidades parentais ou mesmo em processos de inquérito. Processos judiciais cujas decisões dependem, entre outros factores, da resposta do psicólogo a estas mesmas questões. Uma resposta que exige protocolos de avaliação rigorosos, orientados por guidelines [...]

Pedro Strecht

"Quantas vezes não vemos famílias a jantar cada um agarrado ao seu ecrã?"

Em média, uma mãe ou um pai passam 37 minutos por dia com o seu filho. Os miúdos estão cerca de oito horas na escola, menos do que o tempo que os seus pais passam a trabalhar. Escola e trabalho que muitas vezes, demasiadas vezes, são levados para casa. Já para não falar no tempo que é dispendido a olhar para um ecrã, de telemóvel, de tablet, de computador, mesmo quando estão todos juntos, fisicamente. O que andamos a fazer com o nosso tempo? É esta a questão de fundo que perpassa o mais recente livro do pedopsiquiatra Pedro Strecht Pais Sem Pressa - O tempo na relação entre pais e filhos, lançado ontem. Talvez seja tempo de parar para pensar.