Eurogrupo

Opinião

Centeno alcandorado a coveiro do Eurogrupo e da geringonça

Quando é que a ambição pessoal deixa de ser legítima em política? Se entendermos que a ciência de governo de um Estado deve ter como guia a obtenção do melhor resultado possível para o bem comum do povo que vive nesse Estado (há quem não pense assim, mas vamos admitir como pacífica esta intenção), então a ambição pessoal, legítima, que leva as pessoas e os grupos a lutarem pela conquista do poder passa a ser ilegítima e é até condenável quando se traçam objetivos ou percursos nessa luta que lesam o bem comum.