Euro 2004

Dossier - Euro 2004

Estádios do Euro 2004 também estiveram na mira

Ainda antes de ser eleito Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva já era contra a aposta na realização de grandes eventos internacionais como motor de desenvolvimento para a economia. Nas vésperas do Euro - 2004 , e enquanto ainda estavam a ser construídos estádios pelo País todo, Cavaco Silva considerou que nas circunstâncias de então (não muito diferentes das actuais) o investimento era, no mínimo, inadequado. Mais, poderia representar uma perda irreparável no processo de desenvolvimento do País. Numa conferência ligada à Universidade Católica, a que deu o título de "A Economia Mundial e as perspectivas da Economia Portuguesa", o então professor e antigo primeiro-ministro torceu o nariz ao investimento que Portugal estava a fazer na construção dos dez estádios (alguns desses hoje em dia com problemas de rentabilização). No livro-entrevista que publicou em finais de 2005, antes de se lançar nas presidenciais, Cavaco Silva questionou outro tipo de investimentos públicos, como o aeroporto da Ota (que passou para Alcochete com o seu magistério de influência) e também o TVG.