eSports

A equipa sénior de CS:GO

eSports

A equipa sénior de CS:GO

Os futebolistas de elite reformam-se em média aos 32 anos, ligeiramente abaixo da idade média de reforma dos jogadores de basquetebol (cerca de 35) e de alguns atletas, como os corredores de fundo. E, embora se saiba que as carreiras dos desportistas profissionais são cada vez mais longas (Rafael Nadal é o atual número 1 do ranking ATP, com 33 anos, e Lionel Messi, que parece não estar a pensar reformar-se apesar de já estar na casa dos 30), todos já reparámos que apenas alguns privilegiados conseguem manter-se na elite depois dos 40. Esta juventude obrigatória é ainda mais notória entre os desportistas eletrónicos, uma vez que os profissionais dos eSports raramente têm mais de 25 anos. Os motivos para reformas tão antecipadas são variados, embora um dos principais fatores seja a perda de reflexos que todos sofremos com a idade e que, no caso do gaming, se traduz numa menor capacidade para competir.Tendo em conta estes dados, torna-se ainda mais surpreendente o caso dos Silver Snipers, uma equipa sueca de CS:GO cujos cinco membros somam mais de 350 anos entre si. Enquanto outras pessoas da sua idade se dedicam a jogar petanca ou a alimentar os pombos sentados num banco de jardim, eles "vivem, riem, amam e matam terroristas", como diz na sua apresentação Öivind Torevund, o veterano do grupo, com 77 anos. Os seus quatro colegas são Wanja Godänge, Abbe Drakborg, Inger Grotteblad e Baltasar Aguirre. Patrocinados pela marca Lenovo, que reconheceu neles um grande potencial de comunicação, estes cinco avós jogadores transformaram-se em verdadeiras lendas nos torneios profissionais.Os Silver Snipers, começam a ser populares entre os fãs de eSports, são a primeira equipa profissional sénior do mundo, encontrando-se atualmente a fazer uma digressão que os levará a diversos países. Recentemente, partilharam na sua página oficial de Facebook uma reportagem que surgiu na capa do Yomiuri Shimbun, o jornal de maior tiragem do Japão. O responsável por afinar a pontaria e a estratégia destes reformados que garantem ter "tempo para matar" é Fredrik Andresson, uma autêntica lenda do Counter Strike já afastado da competição. Todos os membros da equipa asseguram que o jogo está a ter efeitos positivos na sua saúde. Numa entrevista ao diário chileno La Tercera, Aguirre afirmava que os seus reflexos "funcionam na perfeição, apesar dos anos. Além disso, para melhorar no jogo, é preciso cuidar do físico e, por isso, caminho muito mais do que antes."Joel Dalmau esteve com este grupo de jogadores entusiásticos e descobriu que, apesar do que o seu aspeto possa indicar, ainda "têm a barra de vida a 100%".Entrevista e edição: Joel Dalmau | Azahara Mígel | David GiraldoTexto: José L. Álvarez Cedena

eSports

A equipa feminina de CS:GO da Vodafone Giants

Aidy é a capitã da equipa profissional feminina de CS:GO da Vodafone Giants e teve de lutar muito para mostrar que as raparigas, se quiserem, jogam tão bem como os rapazes - ou até melhor do que eles. "Tive situações um pouco incómodas, ao longo da minha trajetória no mundo dos videojogos. Houve momentos em que me senti pequena e creio que todas temos o mesmo direito de jogar, de poder demonstrar o que queremos e de poder ir atrás dos nossos sonhos."O seu sonho (conquistado) é ser gamer profissional. E como ela há muitas que se esforçam para se destacarem num ambiente que ainda é maioritariamente masculino, embora cada vez menos. Um artigo publicado na VentureBeat, uma página dedicada à tecnologia, baseado em dados recolhidos pela consultora Interpret, indicava que 30,4% das mulheres e 69,6% dos homens viam desporto com regularidade. A distribuição é desigual, mas o mesmo artigo assinalava que a percentagem de mulheres aumentou quase seis pontos desde 2016, um aumento assinalável, que aponta para uma rápida integração das mulheres na indústria.A paridade em termos de presença está, portanto, cada vez mais perto. No entanto, os esports não são tão equitativos - como sucede nos desportos tradicionais - quando se fala de dinheiro.Embora não exista um ranking oficial que permita saber com certeza quanto ganham os jogadores profissionais, a página especializada esportsearnings.com mostra o fosso que separa homens e mulheres. Enquanto o Alemão Turo Takhasomi, líder em termos de receitas, arrecadou, até à data, mais de quatro milhões de dólares em prémios, a Canadiana Sasha Hostyn, que encabeça a lista feminina, ganhou 323 mil dólares no mesmo período de tempo. Laia Miralles, a outra espanhola da equipa, acredita que tanto ela quanto as suas colegas estão preparadas para enfrentar a competitividade do mundo profissional dos esports: "Sim, sofremos um pouco com o machismo. No entanto, tentamos passar ao lado disso e seguir o nosso caminho, porque, se quisermos ser jogadoras profissionais, temos de superar essas barreiras e seguir em frente."Esse exemplo de determinação é o que faz das jogadoras da Vodafone Giants um espelho em que podem ver-se refletidas todas as jovens queiram ser jogadoras profissionais de videojogos. Esse papel de referência, de pioneiras, nas palavras de Virginia Calvo, coproprietária da equipa, está bem presente desde o nascimento da equipa. "Sentíamo-nos responsáveis por dar voz e visibilidade às mulheres da esfera competitiva profissional."Entrevista e edição: Azahara Mígel, Douglas BelisarioTexto: José L. Álvarez Cedena

eSports

Rejeitou a empresa do pai para seguir um sonho. Agora é o melhor do mundo em eSports

Começou a jogar aos 13 anos, por influência do irmão e porque achava divertido. Onze anos depois, Marcelo David é uma verdadeira máquina de rato e teclado na mão e ganha, por mês, dezenas de milhares de euros. Quando disse aos pais que queria deixar a universidade para ser jogador profissional de videojogos, a reação foi difícil. "Os meus pais têm uma empresa e o meu pai sempre quis que eu estivesse lá com ele, não queria que me afastasse, queria que trabalhássemos juntos. Para o meu pai foi mais difícil, para a minha mãe foi mais tranquilo", conta-nos Marcelo [...]

eSports

Guia sobre eSports, o fenómeno que está a gerar novos milionários

Já ouviu falar dos eSports, sabe que é uma indústria que movimento muito dinheiro, mas ainda não percebeu bem em que consiste? Este guia é para si. Os desportos eletrónicos, mais conhecidos como eSports, estão na moda. Nos últimos anos tem aumentado o número de competições, de atletas e de espectadores, o que por sua vez tem feito aumentar o número de investidores nesta área. O que durante muitos anos foi visto como uma atividade de "geeks" que não largavam o computador, é agora uma verdadeira mina de dinheiro. A consultora Newzoo, que todos os anos produz um estudo focado [...]