ensaio

ensaio

A banda do Titanic

Quem disser que, em 2018, existe uma invasão de imigrantes e refugiados a entrar na Europa, mente descaradamente. E quem, do alto dos palacetes de Roma, nos tentar convencer que Itália, em 2018, acolheu mais imigrantes do que em anos anteriores e que continua subjugada a uma pressão descontrolada vinda da rota mediterrânica, mente duplamente. Pior: além de mentiroso apenas manipula uma atmosfera de medo com o único propósito de não deixar morrer uma agenda que lhe tem garantido sucessos eleitorais, a começar no grupo de Visegrado. A verdade é esta: não existe nenhuma "invasão islâmica" na Hungria, na Eslováquia, na Polónia ou na República Checa e encontrar um muçulmano em qualquer cidade destes países é um exercício tão ou mais difícil do que procurar uma agulha num palheiro.

entrevista

João Barrento: "O vampirismo literário de Goethe era uma terapia"

Após traduzir do alemão vários livros de Goethe e de muito escrever sobre o autor, João Barrento achou que estava na hora de recuperar inúmeros textos escritos ao longo de décadas e, com o acrescento de novas investigações, redigir uma monografia sobre um dos maiores nomes da literatura da Alemanha. Esforço inédito em Portugal, intitula-se Goethe - O Eterno Amador, deixando em mais de 300 páginas o retrato "pessoal e literário" de um dos autores mais expressivos da cultura europeia. Logo no preâmbulo avisa para a necessidade de retroceder ao exato princípio da sua vida para se o compreender bem: "Goethe começa a sua autobiografia com o facto de ter sido quase dado como morto na hora do parto, salvando-se porque a conjunção dos astros era-lhe favorável. "