empreendedorismo

empreendedorismo

A programadora prodígio de 11 anos que já tem a sua própria empresa

O verão é a época alta das contratações futebolísticas. À falta de outras notícias relevantes, os meios de comunicação social dedicam muito tempo aos vaivéns do mercado de jogadores. Nomes importantes e números milionários entretêm os adeptos de futebol até ao início do campeonato. Mas o tema das contratações não é exclusivo do desporto. No mundo empresarial em geral, e no das grandes empresas tecnológicas em particular, a busca de talento jovem é uma constante. Descobrir os mais novos com aptidões especiais e convidá-los a entrar para as suas empresas é um investimento de futuro que pode marcar a diferença em relação aos concorrentes dentro de alguns anos. Nesta corrida, Samaira Mehta, uma pequena programadora de onze anos, é uma das estrelas mais cobiçadas. Não é em vão que os seus passos já são seguidos de perto por dois gigantes como a Google e a Microsoft.Os feitos que levaram Samaira a estar em todas as listas de futuras figuras relevantes na tecnologia são impressionantes devido à sua tenra idade. É a fundadora e diretora executiva da CoderBunnyz, uma empresa que se dedica a ensinar programação através do jogo, já deu mais de 50 aulas a cerca de 2000 raparigas e rapazes, os seus jogos são utilizados em mais de cem escolas dos Estados Unidos e foi a vencedora do prémio Youth Entrepreneur. A sua história até chamou a atenção de Michelle Obama, que lhe enviou uma carta em 2016 para a felicitar e incentivar a continuar a progredir.Se, com o seu primeiro jogo de tabuleiro, o objetivo de Samaira era conseguir que as crianças aprendessem a escrever código, com o segundo (chamado CoderMindz) quer ensinar-lhes noções de inteligência artificial. E nada parece deter esta pequena programadora que se afeiçoou aos computadores e às linguagens informáticas aos seis anos, graças ao seu pai Rakesh Mehta, engenheiro na Intel. Samaira continua a inventar e a espremer tudo o que acontece ao seu redor para o transformar numa aprendizagem contínua que lhe permita avançar. O seu objetivo é ajudar o mundo através da tecnologia e já demonstrou que não é das que se rendem, tal como expressa na sua frase preferida: "Não te preocupes com o fracasso. Preocupa-te com as oportunidades que perdes por não tentares."Entrevista e edição: Zuberoa Marcos, Azahara Mígel, Pedro García Campos, Cris López Texto: José L. Álvarez Cedena

inovação

Lusodescendente perto de fornecer teclado "mágico" à Apple

Francisco Serra-Martins foi eleito um dos jovens mais promissores pela Forbes, criou um teclado especial e é filho de pai português. Os teclados são, mais ou menos, da mesma forma há vários anos. Sim, vivemos numa altura (numa década) em que os ecrãs táteis invadiram as nossas vidas (no telemóvel, em tablets e até em dispositivos para a casa ou para interagirmos numa loja ou em museus). Mais recentemente a voz começou a ganhar dimensão.

Cartier

Cartier vai premiar mulheres empreendedoras

A Cartier está a receber candidaturas para os Cartier Women"s Initiative Awards 2019. Até 31 de agosto, a marca procura mulheres empreendedoras, de qualquer país, qualquer nacionalidade e em qualquer área. O perfil é simples: empresárias empenhadas que liderem iniciativas com potencial para crescer significativamente nos próximos anos. «É uma oportunidade única para que mulheres empreendedoras em fase inicial transportem as suas empresas para o nível seguinte», lê-se no site da Cartier. Quanto a prémios, as 21 finalistas, representando três projetos de cada uma das 7 regiões, receberão um coaching personalizado de negócios, workshops de empreendedorismo, sessões de conhecimento e [...]