Eleições em Espanha

Eleições em Espanha

Procura-se um "artilugio" (geringonça) para Espanha

A entrada no Parlamento espanhol da extrema-direita (Vox, de nenhum deputado passou para 24) foi impetuosa. Mas, pelas vítimas deixadas à porta, essa vitória foi feita à custa do PP, que durante décadas partilhou o poder em Espanha, à vez, com o PSOE. Agora, o PP caiu para metade dos seus votos tradicionais e ficou só a um punhado mais de deputados, 66 contra 57, do partido que lhe disputa a mesma área política, o Ciudadanos, de centro-direita.

Eleições em Espanha

"Se querem que Espanha não retroceda 40 anos têm que votar no PSOE"

Primeiro-ministro e líder do PSOE, Pedro Sánchez, apelou ao voto útil no comício de encerramento esta noite em Valência. "O perigo é real. Ninguém achava que Trump ia ganhar nos EUA. E ganhou. Ninguém achava que Bolsonaro ia ganhar no Brasil. E ganhou. Na Finlândia o partido socialista ganhou por seis mil votos e a extrema-direita tornou-se a segunda maior força na Finlândia".

Futuro

O que se segue para os líderes dos principais partidos espanhóis?

Rajoy, líder do PP, consolidou a liderança e ninguém se atreverá agora a disputar-lha. O mesmo não se poderá dizer dos líderes do PSOE e do Podemos, Pedro Sánchez e Pablo Iglesias. Na Esquerda Unida, Alberto Garzón permanece tranquilo e satisfeito com a aliança ao Podemos. E Albert Rivera, do Ciudadanos, ainda pode salvar a face se vier aceitar entrar num governo liderado por Rajoy