Eça de Queiroz

Exclusivo

Pré-publicação

Ramalho: cinco décadas de Portugal político

No prefácio à edição de uma antologia de escritos políticos de Ramalho Ortigão, vinda a público neste mês, Viriato Soromenho-Marques escreve sobre os três elementos do que designa como "teoria política" de Ramalho. Ao contrário de Antero de Quental, de Oliveira Martins ou de Eça de Queiroz, precocemente desaparecidos, o olhar de Ramalho abrange meio século da vida política portuguesa, do final da monarquia constitucional ao dealbar da I República. Cabe ao leitor ajuizar sobre os aspetos desta imagem da política nacional que ainda permanecem nos nossos dias.

O DIA EM QUE O DN CONTOU

Como o primeiro barco cruzou o Canal do Suez

Em meados de novembro de 1869, um jovem Eça de Queirós com ambições de ser jornalista assistiu à inauguração da ligação entre o Mediterrâneo e o mar Vermelho. Quando regressou a Lisboa foi desafiado pelo amigo Eduardo Coelho, fundador do DN, a publicar uma série de reportagens que saíram entre 18 e 21 de janeiro de 1870. Numa escrita deliciosa, com tanto humor como perspicácia, o futuro autor de Os Maias fala do Egito, de Lesseps e de Suez.