DVD

Cinema

Peças de coleção: uma forma de preservar obras primas da sétima arte

Na era da ira digital (fanatismo nas redes sociais, hate mail, fake news), quando todos os conteúdos estão acessíveis na imaterialidade online, as edições especiais em DVD, Blu-Ray e 4K Ultra HD surgem como o derradeiro oásis dos espectadores-recolectores. Texto Pedro Marta Santos As collector"s editions são a melhor forma à face do planeta audiovisual de preservar as obras-primas do cinema e o filet mignon da nova era doirada da televisão, com peças palpáveis, belas, duradoiras, rigorosamente pessoais e intransmissíveis. A diferença entre os formatos está na qualidade de imagem e som (grosso modo, enquanto o DVD se baseia numa [...]

DVD

Deserto Vermelho

Vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza de 1964, Deserto Vermelho é o primeiro filme a cores de Michelangelo Antonioni, cineasta que muito contribuiu para a renovação formal do cinema na viragem dos anos 50 para 60. Aliás, a forma é particularmente sensível neste filme, porque é através dela que nos é transmitido o estado de espírito da  protagonista. Giuliana (Monica Vitti) é uma mulher casada que sofre de uma estranha forma de depressão que parece melhorar temporariamente quando conhece um amigo  do marido (Richard Harris). Dominadas pela desolação das paisagens industriais e pelas cores esmaecidas, as imagens de Deserto Vermelho funcionam como espécie de sintoma da doença de Giuliana, que não é tanto do domínio clínico quanto do foro espiritual. No fundo, esta é a história de um espírito alérgico ao mundo contemporâneo, cada vez mais tóxico e desumano no seu insano excesso materialista e tecnocrático. Edição sem extras.

DVD

Alexandra

Autor de obras marcantes como A Arca Russa (2002) ou Pai e Filho (2003), Aleksandr Sokurov é um cineasta que encarna exemplarmente a vontade de celebrar a alma russa, confrontando o presente do seu país com a sua imensa herança histórica e mitológica. A personagem de Alexandra (interpretada pela lendária cantora lírica Galina Vishnevskaya) é uma expressão modelar dessa tensão: ela é uma velha senhora que visita o seu neto, a  cumprir serviço militar na Chechénia, confrontando-o com o absurdo ontológico da guerra. Filmado in loco, com um espantoso aproveitamento realista dos cenários, este é também um filme que tende para uma dimensão abstracta, próxima das sensações mais secretas da música. Ou melhor: Sokurov filma a peculiar musicalidade das ideias e das emoções.