Dia Mundial

Esclerose múltipla. "Às vezes penso: se ao menos as dores fossem visíveis"

Dia Mundial

Esclerose múltipla. "Às vezes penso: se ao menos as dores fossem visíveis"

Há trinta anos, quando o neurologista Manuel Gonçalves começou a tratar esta doença neurológica crónica, um diagnóstico era uma pesada sentença. Hoje, os avanços da medicina permitem controlar melhor a sua evolução e dar ao doente uma maior qualidade de vida. No Dia Mundial da Esclerose Múltipla, Cristina, Dora e Cláudio contam como é viver com uma doença que ataca o sistema nervoso central e afeta cerca de 8 mil portugueses, duas vezes mais mulheres que homens. Texto de Catarina Pires | Fotografia de Global Imagens Um dia, queria abotoar o bibe de uma criança e não conseguia. O braço [...]