Daniel Proença de Carvalho

Daniel Proença de Carvalho

Premium Uma questão de tempo

A atual solução governativa tem futuro, ou está a esgotar-se? Admitindo como muito provável que ultrapasse as dificuldades do próximo Orçamento, qual o preço político do consenso entre os partidos da geringonça para a sua aprovação? E como chegará o PSD até às próximas eleições: com Rui Rio, com o regresso da ala passista ou com uma terceira via? Santana Lopes avança para a criação de um novo partido? Será que existe por aí um Macron português? Como se vê, há matéria para os comentadores políticos exercitarem a sua atividade. Isto para além das inúmeras variáveis e incertezas que pairam na cena internacional, com um Trump a romper com toda as convicções que tínhamos por adquiridas, com a União Europeia sem liderança e muito pouca união, ou seja, um mundo a caminhar para a imprevisibilidade senão o caos.

Opinião

Um país, duas realidades

Este verão pôs a nu duas realidades contrastantes: de um lado, um país que voltou ao crescimento económico com alguma robustez, com os agentes económicos em alta de confiança, o desemprego a baixar, o investimento finalmente a dar sinais de retoma e, em especial, o setor do turismo a ter uma performance que contamina um vasto conjunto de atividades, na construção e nos serviços. Durante o período de férias que passei em Portugal só ouvi elogios de turistas surpreendidos com a excelência dos nossos serviços e infraestruturas e do nível de preparação dos jovens portugueses com que se deparam. Com uma única exceção: as incríveis filas de espera nas entradas dos aeroportos pela escassez e deficiência dos serviços que controlam as entradas.

Opinião

Bipolaridade

Portugal e os portugueses têm tido boas notícias, a última das quais com especial significado, a recomendação da Comissão Europeia da saída do país do procedimento por défice excessivo. A aceleração do PIB no último trimestre, com muito bom desempenho das exportações e turismo, a consequente descida do desemprego e a melhoria das contas públicas, são sinais coincidentes de que poderemos estar no caminho de um novo ciclo de recuperação e convergência com a Europa. E basta andar na rua e conversar com pessoas de diversas profissões e inclinações políticas para perceber que o clima de confiança está a mudar para melhor.