Daniel Deusdado

Opinião

Precariedade: Governo suspende "promessa" ao fim de três meses

Uma coisa é achar-se que este Governo é a melhor solução possível para a atual realidade do país - é o que penso. Outra é o caos pela falta de coordenação e competência em redor de António Costa. Este é mais um caso flagrante: numa medida claramente de propaganda, o Governo resolveu publicar uma Portaria, a 19 de Setembro (duas semanas antes das eleições), com a medida "Converte+". Genericamente tratava-se de apoiar as empresas, durante seis meses, a converter contratos a prazos em vínculos laborais sem termo. "Lutar contra a precariedade", era um dos motes da campanha do PS e da esquerda.

Opinião

O pior é acreditarmos que não somos pobres porque somos bons

Talvez uma das imagens mais desarmantes da minha vida tenha acontecido em setembro de 2009. Estava a sair da fronteira do Nepal, por terra, e dirigia-me à primeira localidade indiana onde era possível apanhar um comboio para Nova Delhi. Eram já quase 22h quando fiz as últimas centenas de metros a pé até à estação. E aos poucos fui reparando que no viaduto por onde ia passando, exatamente por cima da linha dos comboios, em pleno passeio, se acomodavam dezenas e dezenas de pessoas, deitadas a dormir, a perder de vista até à gare.

Daniel Deusdado

Resultado de Johnson anuncia Trump 2020. Europa = França

Os ingleses não optaram ontem apenas pelo Brexit. Deram de novo um enorme sinal de que o nacionalismo é o tema do nosso tempo. Não interessa a pequena política dos detalhes e das medidas. A alma das nações, erigida ao longo de tantos séculos e de tantas guerras com os vizinhos, não se altera em meio século. A "Europa" começou por ser uma utopia das elites. Quantas mais gerações passam (e nos afastam das Grandes Guerras), mais regressa essa alma nacional, um pouco por todo o lado, sobretudo nos países que pagam para que exista a tal "Europa" da solidariedade.

Daniel Deusdado

Depois de Greta as desculpas acabaram. O mundo partiu-se

Na segunda-feira o discurso, e depois as reações a Greta Thunberg, tornaram ainda mais claro como o mundo está a pender para a rutura. Há uma realidade que demonstra uma poderosa aceleração, destruidora, do efeito de alterações climáticas na natureza. E há um rompimento social, cada vez mais evidente, entre as pessoas que assumem querer evitar o caos ambiental versus as que não estão dispostas a mudar o seu estilo de vida. Porque, sejamos claros: a esmagadora maioria das pessoas não quer ou não sabe, em concreto, mudar a sua vida. Entretanto, o tempo escoa-se. Que fazer com isto?

Daniel Deusdado

Capoulas Santos anunciou que lidera o Governo do boi

1. Se alguma dúvida havia sobre qual a camisola de Capoulas Santos, ela ficou demonstrada no caso "carne de vaca" da Universidade de Coimbra. Num momento em que Bolsonaroé vexado mundialmente como chefe da Bancada do boi no Congresso brasileiro (com as consequências que estão à vista na Amazónia), o ministro da Agricultura sai da caverna para anunciar ao mundo o seu incómodo pela diminuição do consumo de carne de vaca numa instituição pública pois, como se sabe, as metas da descarbonização são boas para todos, em abstrato, mas depois não se destinam a ninguém em particular. E Capoulas, que já tinha brilhado ao tergiversar sobre a limitação do herbicida glifosato na União Europeia, volta à liça, em contramão com a história.

Daniel Deusdado

Uma nova ponte para Lisboa com carros ou comboios?

Se as questões sobre as alterações climáticas não fossem apenas propaganda útil na boca dos partidos, dir-se-ia que o critério para decidir a nova ponte Chelas-Barreiro deveria ser o impacto carbónico. A menos que, de facto, na hora da verdade, este tema conte realmente pouco. Porque não é indiferente se esta ponte vai ser rodoviária, ou ferroviária, ou rodoferroviária. E as três hipóteses são possíveis e radicalmente diferentes no resultado final.