Cristina Siza Vieira

Cristina Siza Vieira

Mudar de perspetiva ou mudar de país?

(...) importam-se, que é em Portugal para tudo o recurso natural. Aqui importa-se tudo (...). A civilização custa-nos caríssima com os direitos da alfandega: e é em segunda mão, não foi feita para nós, fica-nos curta nas mangas....(...). Isto é uma choldra torpe. Onde pus eu a charuteira? Desembaraçado da majestade que lhe dava a peliça, o antigo Ega reaparecia, perorando com os seus gestos aduncos de Mefistófeles em verve, lançando-se pela sala como se fosse voar ao vibrar as suas grandes frases, numa luta constante com o monóculo, que lhe caía do olho, que ele procurava pelo peito, pelos ombros, pelos rins, retorcendo-se, deslocando-se, como mordido por bichos. Carlos animava-se também, a fria sala aquecia (...); depois, com ferocidade e à uma, malharam sobre o país..."

Cristina Siza Vieira

Haja esperança!

Em junho de 2019, a holandesa KLM, para comemorar os seus 100 anos - é a mais antiga companhia de aviação do mundo - lançou um filme promocional que parece um tiro no próprio pé. Aliás, uma saraivada deles! A campanha, que abriu com uma carta do CEO da companhia, exorta, literalmente, as pessoas a voar menos! Com o título Fly more responsibly, entre outras perguntas destacam-se duas: "Do you always have to meet face-to-face?" e "Could you take the train instead?"

Cristina Siza Vieira

Turismo de negócios: e se Bill Gates tem razão? (1)

O fundador da Microsoft, que previu esta pandemia no longínquo ano de 2015, profetizou no final de 2020 que "mais de 50% das viagens de negócios e de 30 % do tempo passado no escritório desaparecerão". Não é uma profecia feita por qualquer um. Por isso, e pelo brutal impacto que poderia vir a ter no turismo e nas viagens, vale a pena explorar o tema. Porque o espaço não dá para tudo, dedico-me às considerações sobre as viagens de negócios.