Crise, Governo

Opinião

Houve uma falha grave na gestão da pandemia?

Que o estado de emergência ou a gravidade da crise sanitária e económica possam cercear a liberdade de expressão, o direito à crítica e o normal escrutínio democrático, é coisa que jamais se poderá aceitar. É certo que o súbito - ou aparentemente súbito - agravamento da situação epidemiológica exige a coesão, o empenho e a incondicional adesão de todos às medidas mais restritivas adotadas ou a adotar pelo Governo. Mas não exige, bem pelo contrário, a ausência de sentido crítico sobre elas e sobre o processo que a elas terá conduzido ou, mais rigorosamente, à necessidade ou inevitabilidade da sua adoção.