correspondentes

Opinião

Não, nunca

Um favor, a prestação de um serviço, uma ajuda para qualquer coisa? É raro que um interlocutor português responda negativamente a um pedido deste tipo. Dizer não, simplesmente não, poderia fazer dele um mal-educado. E ele não gostaria que interpretassem a recusa como falta de respeito. Na maioria das vezes não gosta de dizer não, simplesmente. Para a pergunta "posso encontrá-lo para falar sobre isso?" ou "pode vir até minha casa para resolver o problema da fuga de água?", o especialista ou a pessoa contactada responderá com um " volte a ligar-me" muito formal ou "não estou cá na próxima semana, veremos mais tarde". Fórmulas a priori adaptadas à situação. Mas aqui está. Insistimos em renovar o pedido, a reformulá-lo, a repetir... nada acontece. O interlocutor fica suspenso à espera de uma resposta "para breve". É normal porque ninguém lhe disse "não, não é possível". Ele continua confiante, sereno, paciente... afinal estamos no Sul, por isso, devemos adaptar-nos, levar em conta atrasos que podem estender-se no tempo. E, no entretanto, os pedidos vão sendo renovados.