Coração de Portugal

Insuficiência Cardíaca

O Hospital de Dia que nasceu em Évora mesmo em tempos de pandemia

Histórias de quem trata e de quem sofre de IC. Nem tudo foi negativo nesta pandemia. O Hospital Espírito Santo, em Évora, até acelerou projetos para doentes não covid. E, no final de 2020, abriu portas à teleconsulta para quem sofre de insuficiência cardíaca, porque parar os projetos significaria virar as costas a doentes graves. Mas o "vírus não pode matar quem infeta e quem não infeta".

Insuficiência Cardíaca

Hospital Santa Marta. Na hora de medir corações, estar perto é estar longe

Coração de Portugal. Numa sala do Hospital de Santa Marta, em Lisboa, chega uma chamada de Madagáscar. É hora de ver como está o coração desta doente com insuficiência cardíaca. Ao mesmo tempo, outro doente utiliza, a partir da sua casa, um telemóvel, uma app e um relógio para mostrar ao médico o estado do seu coração em tempo real. Um tempo real que é o tempo da telemonitorização e da teleconsulta.

Insuficiência cardíaca.

Terminada a discussão, é preciso agir: informar, dar acesso e financiar

No mundo, mais de 26 milhões de pessoas sofrem de insuficiência cardíaca (IC). Em Portugal, estima-se que sejam 400 mil, mas o presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia diz que tais números são de há 20 anos. A verdade é que esta doença é hoje um problema maior de saúde pública. Para alertar e consciencializar a sociedade e os órgãos decisores para a situação, o Global Media Group realizou de 6 a 8 de outubro um ciclo de conferências - com o apoio da Novartis e da Medtronic, transmitido em direto nos sites de DN, JN e TSF - no qual participaram especialistas, dirigentes da saúde e governantes. Aqui fica um resumo da participação de todos os oradores.

Ciclo de Conferências

Insuficiência cardíaca: doentes devem ter mais acesso e serviços mais organização e investimento

Durante três dias, o Global Media Group, com o apoio da Novartis e da Medtronic, discutiu a insuficiência cardíaca em Portugal. O ciclo de conferências transmitido em direto nos sites DN, JN e TSF, subordinado ao tema IC - Uma Estratégia para Portugal teve como ponto de partida a apresentação de um documento de consensos sobre o que ainda há a fazer nesta área, sendo que afeta mais de 400 mil pessoas. Na iniciativa participaram 15 oradores especialistas na doença, em gestão, e governantes. Os alertas vão para a necessidade de melhorar o acesso dos doentes aos cuidados, serviços mais organizados e mais investimento. O presidente da Sociedade de Cardiologia disse mesmo esperar que o documento divulgado "não fique na gaveta".

Ciclo de Conferências

"A covid veio mostrar que é fundamental dar atenção à insuficiência cardíaca"

Com transmissão em direto. Em Portugal, estima-se que 400 mil pessoas sofram de insuficiência cardíaca, mas nem sempre a doença é reconhecida como uma síndrome de elevada morbilidade e mortalidade. Para consciencializar a sociedade e os órgãos decisores, especialistas ligados à saúde discutiram o tema e reuniram as conclusões num documento que será divulgado e debatido no ciclo de conferências que o Global Media Group, com o apoio da Novartis e da Medtronic, realiza nos dias 6, 7 e 8, das 18.30 às 20.00, e que poderá ser acompanhado em direto nos sites do DN, JN e TSF.