Bruno Pires

Opinião

Um problema para o futuro...

Por muitos cachimbos da paz que se fumem nos próximos dias entre os jogadores do Sporting e o presidente do clube de Alvalade, ninguém pense que o problema está resolvido - porque não está. E nem limpando o balneário Bruno de Carvalho conseguirá um reset que lhe permita errar uma e outra vez com outros protagonistas. Basta pensarmos um bocadinho. Alguém duvida de que um treinador ou um jogador quando for convidado pelo Sporting não vai colocar nos pratos da balança esta troca de comunicados a todos os títulos lamentável? Claro que colocará. E mesmo que a paz se restabeleça, como será quando a SAD liderada por Bruno de Carvalho chamar um jogador para lhe tentar renovar o contrato? As coisas podem ficar resolvidas momentaneamente, mas uma coisa é comprarmos um pneu novinho em folha com zero quilómetros, outra coisa é termos de o remendar após um e outro buraco. Ou seja, no Sporting, até ao final da época, vai haver uma espécie de paz podre assumida por tudo e todos; porque há atletas com o Mundial à porta, outros querem mostrar-se para dar o salto para clubes de campeonatos superiores. Mais, será perfeitamente lógico que alguns elementos do plantel leonino já tenham ligado aos seus agentes de forma a que estes encontrem uma solução fora de Alvalade. Quebrou-se um elo de confiança difícil de recompor. E é aqui que surge a dúvida: conseguirá Bruno de Carvalho resistir a mais uma precipitação? A ideia que dá é que o presidente do Sporting não tem ninguém em seu redor que lhe explique que nada ganha ao tomar algumas atitudes - e isso diz muito, principalmente, sobre quem o acompanha. Desta vez foi passado um limite, um limite perigoso e que pode vir a ser nefasto para o próprio Sporting, que lucrou sempre que o seu presidente trabalhou e se manteve em silêncio.