autárquicas

Fenando Medina diminuiu na utilização do carro e passou a andar de bicicleta entre o trabalho e casa

Entrevista

Fernando Medina: "Lisboa vai ter um memorial à escravatura"

O autarca de Lisboa repete as palavras "jovens e classes médias" várias vezes, mas garante que os idosos não foram esquecidos pela cidade. Também gosta de falar de sustentabilidade, ciclovias e até defende o bom serviço da Carris fora da hora de ponta - vê-se que não anda de autocarro, mas de metro e agora cada vez mais de bicicleta. A pandemia está sempre presente, só não quer comentar a recandidatura, contudo espicaça os que criticam o Museu da Descoberta e anuncia que o projeto vai ter início ainda neste mandato.

terças-feiras do contra

Das autárquicas às próximas legislativas

Não se pode fazer leituras nacionais dos resultados das eleições autárquicas. Uma frase tão repetida por estes dias. Contudo, dois governos caíram por causa de maus resultados autárquicos (AD em 1982 e Guterres em 2001). Várias vezes foram parte da estratégia partidária de consolidação de poder (AD em 1979, PSD em 1985, PS em 1997, 2005 ou 2009). E não poucas vezes as eleições autárquicas foram importantes no assalto a esse poder (PS em 1993, PSD e CDS em 2001). Por outro lado, também houve situações em que o partido derrotado nas eleições autárquicas percebeu o cartão amarelo e reajustou a sua estratégia para ganhar as eleições legislativas seguintes (PSD em 1989, PSD e CDS em 2013). Portanto, evidentemente, as eleições autárquicas têm implicações para a vida política nacional. Outra coisa é que sejam um bom indicador para as próximas eleições legislativas. Em geral, não são. No caso das eleições de domingo, contudo, atrevo-me a dizer que, para desgosto da direita, são mesmo um aviso importante.

autárquicas

Ágata não convenceu eleitores e perdeu em Castanheira de Pera

A cantora concorreu às Autárquicas deste domingo como vice-presidente da coligação CDS/MPT à Câmara Municipal de Castanheira de Pera. Feitas as contas, Ágata perdeu as eleições com 4,57% dos votos (90 votos), muito atrás do PS (com 43,84%) e PPD/PSD (47,54%). A artista concorreu à vice-presidência da autarquia pela coligação CDS-PP/MPT. Quando anunciou a sua candidatura, em meados de agosto, avisou não ser "de politiquices". "O meu partido é o bem-estar de todo o ser humano, é o Amor e tudo quanto se pode dar para conforto de muitas famílias", escreveu na altura nas redes sociais. Na sexta-feira passada, dois [...]