António Vitorino

António Vitorino

O homem que podia ter sido tudo é o novo diretor-geral da Organização das Migrações

Inscreveu-se no PS aos 17 e saiu aos 18, em pleno Verão Quente, para a esquerda. Havia de voltar e não mais sair, mesmo se desde 1997 diz não a todos os apelos do partido para se candidatar a PM ou PR. Para ele, doravante, só a advocacia dos negócios - "ganhar dinheiro não é pecado", diz - e os altos voos internacionais. Foi comissário europeu e terá sonhado suceder a Prodi, mas Durão atravessou-se. Foi agora, aos 61 anos, eleito diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações. Mas quem é?