António Bernardo Colaço

Opinião

Greve de juízes versus política de aparências

A greve decretada pela Associação Sindical de Juízes Portugueses (ASJP), tem vindo a ser criticada, por vulgarmente se entender que os juízes enquanto titulares de um órgão de soberania não podem entrar em greve. Esta problemática pode assumir contornos mais vastos se abrangermos os magistrados do Ministério Público (MP), e, porque não, os próprios funcionários judiciais, já que sem estes os tribunais também não funcionam. Veja-se o caso de Bruno de Carvalho, cuja audição, havendo um juiz, teve que se adiada por falta de funcionário.