Ansiedade

Comportamento

Confirma-se: mulheres têm o cérebro mais ativo do que os homens, diz a ciência

E não só pensam mais do que eles como são mais empáticas, intuitivas e... ansiosas. Cientistas esperam que conhecer bem o cérebro de homens e mulheres abra caminho à cura de doenças irreversíveis como a de Alzheimer. Texto de Ana Pago | Fotografias da Shutterstock Diz-se que as mulheres amam demasiado, choram demasiado e pensam demasiado, encorajadas por uma cultura autoanalítica que as faz passar horas a matutarem na vida. As mulheres respondem que não, que basta desses lugares-comuns. Esta mania de insistir que somos emotivas e ruminadoras já enjoa. E enjoa, mesmo sendo a ciência a vir garantir agora [...]

Comportamento

Diana Prata: «A empatia é uma vantagem evolutiva, não convém nada perdê-la»

Aos 39 anos, tem um laboratório com o seu nome no Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, o Diana Prata"s Lab, na área da neurociência biomédica. Ali, com uma equipa multidisciplinar, estuda o cérebro e a biologia do comportamento social. Mais precisamente, estuda uma hormona chamada oxitocina e o papel que esta desempenha na forma como nos relacionamos uns com os outros e em sociedade. Os resultados poderão revolucionar a terapêutica de doenças mentais como a esquizofrenia, o autismo, a depressão ou a ansiedade. Entrevista Catarina Pires | Fotografia Reinaldo Rodrigues/Global Imagens [...]

bem-estar

Shinrin-yoku: a terapia japonesa que chegou agora ao ocidente

Em japonês chama-se shinrin-yoku - significa à letra «banhos de floresta» - e é como se apanhássemos banhos de sol ou de mar mas no meio do verde, a sentir a terra a estalar sob os pés enquanto cheiramos o musgo, as folhas, a humidade e tudo o mais que nos acalma de formas que nenhum ansiolítico é capaz. Foi Tomohide Akiyama, diretor da Agência Florestal Japonesa, quem primeiro usou a expressão em 1982, referindo-se ao ato de caminhar lentamente pela floresta durante duas ou mais horas, sem correrias, sem telemóveis, relaxando [...]