André Ventura

Paulo Baldaia

O bolsonarismo venceu, está a vencer

Escrevo a uma hora em que os brasileiros ainda não acabaram de votar. O título desta crónica não é, portanto, sobre o resultado da segunda volta das Presidenciais brasileiras, é sobre uma sociedade que chegou a estas eleições profundamente dividida e, não apenas no Brasil, insuportavelmente reacionária. Na verdade, o bolsonarismo, o trumpismo, ou o venturismo em terras lusas, representam o mesmo, são fruto do oportunismo mais básico. Jogam com o medo das pessoas, que cresce nos tempos de maior incerteza; oferecem soluções simplistas que parecem tremendamente eficazes, mas que nunca funcionam, limitando-se a jogar a responsabilidade sobre o adversário político, visto como inimigo.

Presidenciais 2026

Os que querem ser candidatos... e os que estão a pensar nisso

Falta muito tempo para as próximas presidenciais mas o assunto já é objeto de comentários e especulações. Três personalidades indiciaram estar a encarar fortemente a hipótese e outras três vão esperando para ver como se desenrola o jogo. Iniciativa Liberal, PCP e Bloco de Esquerda poderão ser forçados a escolhas difíceis. A única certeza parece para já residir apenas em torno de Augusto Santos Silva. Passos Coelho poderá ser o grande polarizador à direita.