Aeroporto de Lisboa

Daniel Deusdado

Aeroporto, senha C-139

139. Era o número da vez para ser atendido na opção C - bagagens não-entregues, da Groundforce, Lisboa, quatro horas depois de aterrar. Ao lado das senhas e nos corredores, dezenas de pessoas acampadas no chão - não há onde sentar nas imediações do Lost and Found. O aeroporto vai acabar e já não vale a pena investir em cadeiras? Uma mulher chora. A sua vez não chega. Vai perder uma ligação, fala espanhol, inglês, vai e volta. Há também pais e filhos, gente desesperada. Há três pequenos First Café, com as mesmas coisas, para se sobreviver durante o sequestro - não se pode circular para as zonas de alimentação geral e sair não é opção. Uma banana custa 2,10 euros. Está caro ser saudável. E ficar sem malas.