Voluntário de teste da BIAL teve alta

Dos cinco afetados, só dois permanecem no Hospital de Rennes. Dois foram transferidos para hospitais próximos das suas residências

Um dos voluntários afetados pelo teste da BIAL em França teve alta hospitalar e já regressou a casa. Outros dois foram transferidos para hospitais da sua área de residência e apenas dois agora permanecem internados no Hospital Universitário de Rennes, em França. "Neste momento temos indicação de que os exames médicos realizados apresentam um quadro positivo. Continuaremos a acompanhar a evolução dos voluntários, esperando a sua total recuperação", adiantou ontem a empresa portuguesa em comunicado.

A BIALesclarece que continua a averiguar as causas do incidente que provocou a morte de um voluntário aos ensaios clínicos. "Uma equipa de BIAL permanece em Rennes a colaborar com as diversas entidades e autoridades envolvidas no apuramento das causas que estiveram na origem desta situação. É uma prioridade absoluta para BIAL encontrar as causas deste grave incidente, tenha ele sido causado pelo composto ou por outra razão externa que desconhecemos."

A farmacêutica assegura que "não existe qualquer outro ensaio a decorrer com a molécula experimental em causa, nem BIAL iniciará qualquer ensaio com este composto sem que estejam totalmente apuradas as causas deste grave incidente."

Informa ainda que "a molécula experimental testada no ensaio em causa, sob o nome de código BIA 10-2474, é um inibidor de longa duração de ação da FAAH (Fatty Acid Amide Hydrolase) - e não um derivado da cannabis sativa - de onde resulta o aumento dos níveis de anandamida, um canabinóide endógeno, e consequente amplificação das ações da mesma no sistema nervoso central e em tecidos periféricos."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG