Vírus que sequestra ficheiros e pede resgate chegou aos 'Macs'

O 'KeRanger' é o primeiro 'ransomware' a conseguir infetar computadores da Apple. Através deste tipo de vírus, piratas informáticos fazem centenas de milhões todos os anos

Os donos dos Mac, computadores da Apple, têm razões para estar preocupados: pela primeira vez, os seus aparelhos foram alvo de uma campanha de software malicioso conhecido como ransomware, ou seja, um vírus que "sequestra" e encripta os ficheiros guardados no computador, sendo o proprietário obrigado a pagar um resgate para os recuperar, num montante a definir pelo pirata informático.

A informação foi avançada por investigadores da Palo Alto Networks, uma empresa de segurança informática norte-americana. Segundo o The Guardian, os especialistas em segurança estimam que os hackers consigam apropriar-se de centenas de milhões de euros todos os anos devido a este tipo de vírus, que é uma das ameaças que maior crescimento registou em termos de pirataria informática.

Tipicamente, o ransomware ataca computadores da Microsoft, com o sistema operativo Windows, mas pela primeira vez foi detetado nos 'Macs' da Apple."Este é o primeiro que é definitivamente funcional, encripta os ficheiros e pede um resgate", disse à Reuters Ryan Olson, responsável da Palo Alto Networks, citado pelo Guardian.

Um porta-voz da Apple garantiu que, durante o fim de semana, a empresa já agiu contra o vírus, que apareceu no dia 4 de março e foi chamado de 'KeRanger': uma onda de ataques terá sido prevenida com a revogação da licença de um certificado digital de um programador autorizado da própria Apple, que era capaz de instalar o software malicioso nos computadores.

Este vírus está programado para encriptar os ficheiros do computador infetado três dias depois de conseguir penetrar no sistema, explicou Olson. Quer isto dizer que se, durante o fim de semana, a ação da Apple para neutralizar a ameaça tiver sido insuficiente, os primeiros "pedidos de resgate" deverão chegar aos proprietários dos computadores esta segunda-feira, dia 7 de março.

Notícia corrigida: Numa versão anterior desta notícia lia-se ramsonware em vez de ransomware em duas das ocasiões em que a palavra é utilizada, por lapso.

Exclusivos