Ventos ciclónicos lançam o caos na Europa Ocidental

Zonas de França, Grã-Bretanha e Holanda tiveram estradas cortadas, cortes de eletricidade e voos cancelados

Ventos com rajadas de força ciclónica causaram hoje estragos em alguns pontos da Europa Ocidental, deixando dezenas de milhares de casas sem eletricidade e obrigando ao cancelamento de voos e ao corte de estradas e pontes.

Em França, chegou a haver pelo menos 60.000 casas sem energia elétrica, mais de metade delas nas províncias ocidentais da Bretanha e Normandia, número que caiu para cerca de 15.000 ao fim da tarde, indicou a operadora de energia elétrica ERDF.

As rajadas mais fortes registaram-se na ilha turística bretã Belle-Île, onde o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

Na Grã-Bretanha, o mesmo fenómeno ciclónico -- batizado como "Tempestade Katie" -- deixou um rasto de destruição ao passar pelo sul da Inglaterra durante a noite, com lixo e material de obras espalhados pelas ruas de Londres.

A polícia de Surrey estava à procura de uma pessoa desaparecida depois de o seu caiaque se ter virado no rio Wey.

Rajadas com mais de 170 quilómetros por hora obrigaram ao cancelamento de cerca de 150 voos de e para a Grã-Bretanha e provocaram cortes de eletricidade em mais de 100.000 casas, encontrando-se ainda sem eletricidade ao fim da tarde cerca de 60.000, indicaram as fornecedoras elétricas locais.

O aeroporto de Heathrow, um dos mais movimentados do mundo, comunicou cerca de 130 cancelamentos, havendo outros voos que sofreram atrasos ou foram desviados para outros aeroportos, no complicado fim de semana da Páscoa.

Cerca de 20 voos de e para o aeroporto de Gatwick, em Londres, foram cancelados e outros quatro foram desviados.

Alguns passageiros recorreram à rede social Twitter para partilhar a sua experiência, tendo, por exemplo, Michele Grant escrito que estava grata por ter aterrado no aeroporto de Stansted após "tentativas aterradoras e infrutíferas de aterrar em Gatwick".

Uma ponte sobre o rio Tamisa, no sul de Inglaterra, e a Severn Bridge, que liga Inglaterra ao País de Gales, foram também fechadas, de acordo com a empresa Highways England.

"Serão sobretudo as zonas mais a sul da Inglaterra as mais afetadas pela Tempestade Katie, mas também algumas zonas de East Anglia, com estas rajadas de vento potencialmente destruidoras de 120 a 130 quilómetros por hora -- até talvez mais, nas áreas mais expostas", disse o meteorologista da televisão pública BBC Nick Miller.

Na Holanda, rajadas com 113 quilómetros por hora ameaçaram arrancar o telhado de um edifício de 28 apartamentos que teve de ser evacuado, noticiou a televisão pública NOS.

As celebrações da Páscoa foram canceladas devido ao mau tempo, e a queda de árvores destruiu automóveis e obrigou a um breve encerramento de uma autoestrada.

Ventos fortes na Bélgica também derrubaram árvores e levaram as autoridades ambientais a fechar os parques públicos de Bruxelas, que afirmaram deverão reabrir na terça-feira após inspeção e limpeza do lixo arrastado pela tempestade.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.