Um visitante de longe? Astrónomos observam primeiro cometa de fora do sistema solar

Objeto está a deslocar-se muito depressa e a trajetória é tal que podemos dizer com confiança que este objeto está a sair do sistema solar e não vai voltar

Astrónomos descobriram recentemente um novo objeto (um asteroide ou cometa) que, acreditam, pode ser um visitante de fora do sistema solar. O A/2017 U1 passou perto do Sol a 18 de outubro e a sua trajetória leva os cientistas a pensar que veio de longe. Se se confirmar que é um visitante interestelar será o primeiro a ser observador por astrónomos na nossa vizinhança.

O A/2017 U1 tem menos de 400 metros de diâmetro e move-se a grande velocidade, segundo a Agência Espacial Norte-americana (NASA). Foi detetado a 19 de outubro por um telescópio da Universidade do Hawai.

Rob Weryk, o primeiro a identificar o objeto, estranhou a órbita, que não batia certo com a possibilidade de ser um cometa ou asteroide do sistema solar, e contactou o colega Marco Micheli, que chegou à mesma conclusão usando imagens de um telescópio da Agência Espacial Europeia (ESA) em Tenerife, nas Canárias.

Juntando os dados, a conclusão parece ser que o A/2017 U1 veio de fora do sistema solar. "Esta é a órbita mais extrema que já vi. Está a deslocar-se muito depressa e a trajetória é tal que podemos dizer com confiança que este objeto está a sair do sistema solar e não vai voltar", diz Davide Farnocchia, do Centro para o Estudo dos Objetos Próximos da Terra da NASA.

O A/2017 U1 veio da direção da constelação Lira e está a viajar a 25,5 km por segundo. Passou "perto" da Terra (a 24 milhões de quilómetros) a 14 de outubro.

"Estamos à espera disto há décadas", disse Paul Chodas, do Centro para o Estudo dos Objetos Próximos da Terra da NASA.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG