Uber em todo o Algarve e com dicas para turistas

Empresa terá de crescer oferta a sul em 800%. Concorrência? Quanto mais, melhor, diz o diretor-geral da empresa em Portugal, Rui Bento

Aproveitar cada vez mais o potencial de um país que vai receber 21 milhões de turistas neste ano e com um serviço de alta qualidade. É por aqui que passam os planos do diretor-geral da Uber em Portugal e dar esse passo implica fazer crescer - e muito - a oferta de carros e motoristas disponíveis por exemplo no Algarve, região onde a empresa se lançou parcialmente no ano passado e que agora vai cobrir em pleno. E se mesmo antes do alargamento que implicará, já neste verão, poder-se chamar um Uber entre Sagres e Vila Real de Santo António os carros com este serviço já não chegavam para os pedidos, Rui Bento prevê que seja preciso fazer crescer a oferta em cerca de 800% para dar resposta às novas necessidades.

Mas nem só de números se faz o sucesso da Uber, como ontem explicou o diretor-geral da empresa em Portugal. É sobretudo pela qualidade e criatividade dos serviços que disponibiliza aos clientes que se tem afirmado. Agora, a aplicação que só no último ano foi descarregada mais de 750 mil vezes por turistas estrangeiros (de 81 países) quer ajudá-los a conhecer o que de melhor há no país. É com esse objetivo que, já na próxima semana, arranca um projeto-piloto (para já, no Algarve) com recomendações e guias, incluindo conselhos úteis sobre praias paradisíacas e outros locais menos fáceis de descobrir.

Também em Lisboa a Uber vai dar mais uma ajuda, desta vez aos cerca de dois milhões de adeptos dos festivais de verão que por cá acontecem. "Nessas datas, a cidade tem um problema de mobilidade num curto período de tempo, não está preparada para estes picos", razão pela qual a Uber opta uma vez mais por juntar à sua aplicação um plano de recomendações que inclui dicas sobre os melhores locais para pedir uma viagem - Uber Lounge -, de forma a "facilitar o encontro com o cliente na zona do festival e não prejudicar o trânsito".

Mas há mais novidades, incluindo o regresso do Uber Pool, sistema que permite partilhar uma viagem com outro cliente cujo percurso pretendido seja semelhante, baixando o preço para todos em 25%, independentemente do número de pessoas que partilham o carro (o valor é definido à partida, sem influência das paragens e tempo de viagem).

Clarificar a mobilidade

Claro que nem tudo é maravilhoso no mundo da Uber, a começar pelo atraso na legislação que tem causado problemas a motoristas (multas, confrontos) e deixado a empresa num estado de indefinição pouco desejável. Com a lei parada há meses no Parlamento, Rui Bento prefere destacar "o interesse demonstrado por várias forças políticas em participar no debate".

Lembrando o valor económico que a Uber trouxe ao país - "com mais de três mil motoristas ativos e cerca de um milhão de portugueses já com a app descarregada -, o gestor pede simplesmente que se crie "um quadro transparente e que o enquadramento legislativo aconteça em breve, com um desenho aberto e moderno". E mesmo desafiado a elencar o que gostaria de ver na lei, resiste: "Mais do que pontos específicos, é preciso que haja propostas para regular o setor e acabar com a falta de clareza que hoje existe na mobilidade urbana", afirmou ontem, num encontro com jornalistas.

Quanto à concorrência, não o preocupa: "Quanto mais houver, melhor, é natural que haja cada vez mais, e isso é bom para os clientes. O que importa agora é definir o quadro legal para todos podermos trabalhar o melhor possível."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG