"Tronos de Santo António", um livro para a cidade

Catálogo fotográfico bilingue espelha o culto antoniano da original tradição lisboeta

Tradicionais, com bonequinhos de barro e enfeites de papel colorido, mais terra-a-terra, com manjericos dispostos em escadinha, ou trabalhados, com figurinhas, fachadas e telhados em miniatura, a lembrar a cidade derramada sobre o Tejo, as mais de duas centenas de tronos de Santo António com que os lisboetas celebraram na rua, no ano passado, o seu santo padroeiro, já estão em livro.

"Tronos de Santo António 2016", a edição bilingue em português e inglês que hoje é apresentada, às 17.30 no Museu de Lisboa, "resulta da exposição de rua dos tronos de Santo António que promovemos nos dias 4 e 5 de Junho, no ano passado, em Lisboa", explicou ao DN Pedro Teotónio Pereira, o coordenador do núcleo de Santo António do Museu de Lisboa e um dos autores do livro, que conta igualmente com textos de Catarina Vaz Pinto, vereadora da cultura da câmara de Lisboa, e Joana Cardoso, presidente da EGEAC.

Repositório fotográfico de todos os tronos que estiveram patentes nas ruas da capital por ocasião das festas, o livro é também "um importante retrato sociocultural da cidade, porque mostra a diversidade da participação de todos os que quiseram associar-se à iniciativa, num encontro de gerações, que envolveu desde artistas plásticos a pessoas comuns, passando por instituições, como os bombeiros ou a polícia, diferentes grupos e até comunidades de outros credos religiosos, como a indiana", assinala o coordenador do projeto.

Tradição lisboeta centenária, nascida após o terramoto de 1755 como forma de peditório para atender aos que haviam ficado sem nada, os tronos de Santo António acabaram por tornar-se "uma das expressões mais originais do culto antoniano e da iconografia das festas da cidade", nas palavras de Pedro Teotónio Pereira.

Em 2015, a EGEAC decidiu apoiar a tradição lisboeta, distribuindo várias dezenas de pequenas estruturas para servirem de base ao trono e promovendo a sua exposição de rua, da qual resultou um primeiro livro.

"No ano passado correu ainda melhor, distribuímos cerca de 200 daquelas estruturas, os lisboetas aderiram e nós fizemos um roteiro dos tronos", conta o coordenador do projeto. É o resultado disso que agora está disponível em livro, que é também uma homenagem à cidade e aos lisboetas.

A EGEAC já prepara, entretanto, a terceira edição dos tronos de Santo António. "Este ano vamos distribuir entre 300 a 400 estruturas para os tronos, para todos os que quiserem associar-se", diz Pedro Teotónio Pereira. Os organizadores esperam, por isso, que a iniciativa continue a crescer.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG