Temperaturas vão descer mas Santo António vem sem chuva

Temperaturas descem a partir de quinta-feira, mas a noite dos Santos Populares em Lisboa vai ser mais quente

A temperatura máxima vai descer a partir de quinta-feira, sofrendo depois uma pequena subida no domingo, prevendo-se que a noite de Santo António em Lisboa seja mais quente do que as anteriores, segundo o IPMA.

"Na noite de Santo António, aqui para Lisboa, não está previsto que tenha chuva. Eventualmente, pela madrugada, poderá ocorrer chuvisco pontual, mas se acontecer será pacífico e temporário e a ocorrer, o mais provável, é ser a norte do Cabo Raso", disse Maria João Frada, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em declarações à Lusa, a meteorologista explicou que está prevista uma descida da temperatura máxima no litoral oeste já a partir de quinta-feira, na sexta-feira nas regiões do interior, e terá flutuações de dois/três graus até segunda-feira

Segundo a meteorologista, na sexta-feira, e na generalidade do território, as temperaturas máximas vão variar entre os 22 e os 25 graus Celsius, com exceção para o Alentejo, onde as temperaturas podem chegar aos 30 graus.

Maria João Frada adiantou ainda estar prevista a intensificação do vento, a soprar de moderado a forte no litoral oeste.

"Quem quiser fazer praia, além da descida da temperatura vai ter muito vento na costa ocidental, que soprará todo o dia", advertiu, sublinhando que a costa sul do Algarve vai estar melhor, as temperaturas não vão descer e o vento será uma brisa de sudoeste, na faixa costeira.

A temperatura máxima deverá descer na sexta-feira, sofrendo depois uma pequena subida no domingo. Prevê-se que a temperatura máxima em Lisboa varie entre 24 e 27 graus Celsius, em Faro e em Évora entre 27 e 32, em Viseu entre 22 e 25, Bragança 26 e que no Porto não ultrapasse 21.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.