Semana de aulas não trouxe maior subida de casos em crianças

As creches, jardins-de-infância e escolas do 1.º ciclo reabriram há uma semana. Não e uma maior proporção de casos no grupo etário dos 0 aos 9 anos.

Os números desta segunda-feira registavam um total de 45 182 crianças infetadas desde o início da pandemia, mais 151 (0,37%) do que há uma semana. Uma subida inferior à registada na população em geral, que teve um acréscimo de 0,40 % no mesmo período.
Desde o início da pandemia, ficaram infetadas 817 778 pessoas com o SARS-CoV-2. Recuperaram 765 874, mais 555 nas últimas 24 horas. Dia em que houve mais 248 casos e 16 mortes, também mais seis pessoas internadas (771, no total) e menos cinco em unidades de cuidados intensivos (165 no total).
O grupo dos mais novos representa 5,2 % dos infetados. O escalão dos 40 aos 49 anos tem a maior proporção de casos, 16,6 % do total, mais 0,37 % na última semana. Mas é entre os 60 e os 69 anos que há mais infetados nos últimos sete dias, com mais 0,50 %.
A leitura dos números nos últimos dias assume maior importância quando se trata da primeira semana de desconfinamento, iniciada com a abertura dos espaços para os mais novos. E, também, com distribuição da variante inglesa por idades que, a 8 de março, representava 65,5 % destes doentes.
Há um mês, na reunião de especialistas do Infarmed, a distribuição da variante inglesa por idades indicava que tinha menos efeito no grupo dos 0 aos 9 anos, sendo a responsável por 7,3 % das infeções nos mais novos, praticamente a mesma percentagem das restantes variantes. Só os de 70 e mais anos tinham uma menor proporção desta mutação. As pessoas dos 40 aos 49 anos tinham um maior número de infeções com esta variante, acompanhando a tendência geral do comportamento do novo coronavírus na população. Nesta terça-feira, haverá uma nova reunião de peritos no Infarmed.
Entretanto, mais de 82 mil trabalhadores docentes e não docentes do ensino pré-escolar e do 1.º ciclo foram testados na última semana. Registaram-se 80 casos de covid-19, uma percentagem de 0,09 %, segundo o Ministério da Educação. A campanha de testagem nas escolas do pré-escolar e do 1.º ciclo arrancou na última terça-feira. E, no próximo fim de semana, será iniciada a vacinação com a vacina AstraZeneca nesta população, depois de um adiamento de uma semana para a averiguação dos efeitos secundários da vacina anglo-sueca, que foi considerada segura.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG