Ruanda volta a ter rinocerontes negros, 10 anos após terem desaparecido

Nos anos 1970, Ruanda tinha cerca de 50 rinocerontes negros, mas devido à caça furtiva a espécie desapareceu completamente do país em 2007

O parque de Akagera no Ruanda vai voltar a ter rinocerontes negros, espécie que desapareceu do país há 10 anos, com a chegada de duas dezenas de animais da África do Sul, anunciou hoje a gestão do parque.

A organização African Parks "está a transferir da África do Sul uma população inicial de cerca de 20 rinocerontes negros do leste para o parque nacional de Akagera no Ruanda. Este extraordinário regresso ocorrerá durante as duas primeiras semanas de maio", adianta a gestão do parque num comunicado.

O rinoceronte negro, uma das subespécies de rinocerontes africanos, está "em perigo de extinção", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

Nos anos 1970, o parque de Akagera (leste) tinha cerca de 50 rinocerontes negros, mas devido à caça furtiva a espécie desapareceu completamente do país em 2007, refere o comunicado.

Para "assegurar a segurança e o bem-estar dos rinocerontes", os responsáveis do parque também implementaram uma série de medidas financiadas pela Fundação Howard Buffett, filho do milionário norte-americano Warren Buffett, que incluem a existência de um helicóptero e de uma equipa de monitorização e proteção dos animais.

Em julho de 2015, o Ruanda reintroduziu leões no Akagera, 15 anos após o seu desaparecimento. Os predadores tinham sido dizimados alguns anos após o genocídio de 1994, quando os refugiados ruandeses ocuparam uma parte do parque e mataram os leões para proteger o gado.

Segundo a African Parks, a população mundial de rinocerontes negros da África Oriental é inferior a 5.000 animais, dos quais apenas cerca de mil não estão em parques naturais.

Com a reintrodução do rinoceronte, a reserva natural de Akagera, que recebeu em 2016 mais de 36.000 visitantes, passa a contar com os "cinco grandes" (os mamíferos selvagens mais difíceis de serem caçados): elefante, rinoceronte, leão, leopardo e búfalo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG