PSP deteve 19 pessoas por vários crimes numa operação na Feira do Relógio

Dezanove pessoas foram detidas por vários crimes, nomeadamente contrafação e porte de arma proibida, na Feira do Relógio, na freguesia lisboeta de Marvila, durante uma operação especial de prevenção criminal, anunciou a PSP.

A operação estava direcionada para a identificação de lícitos relacionados com a posse, compra e venda de armas, contrafação, imitação e uso ilegal de marca no âmbito do Código da Propriedade Industrial, indica o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP em comunicado.

No âmbito da ação policial, foram detidos nove homens e nove mulheres pelo crime de contrafação, imitação e uso ilegal de marca e uma outra pessoa pelo crime de posse de arma proibida.

A PSP também identificou cinco suspeitos pelo crime de contrafação, imitação e uso ilegal de marca, tendo apreendido 2.197 artigos falsificados, duas viaturas e 196 euros em numerário.

Realizada através da 2.ª Divisão Policial de Lisboa, a operação teve como objetivos detetar "bancas" onde pudesse estar a ser vendidas armas brancas proibidas, detetar armas de fogo ilegais/não registadas, na posse ou ocultas nas viaturas de vendedores, identificar e deter suspeitos da prática de ilícitos e apreender material que se enquadre nos "crimes contra os direitos de autor e de propriedade industrial de venda de material contrafeito".

A operação pretendeu igualmente promover a "segurança e tranquilidade públicas junto da população" e "diminuir a incidência de alguns crimes associados a estes ambientes de feira", lê-se na nota da PSP.

Na operação estiveram envolvidas diversas valências da PSP, desde o efetivo territorial da 2.ª Divisão, Unidade Especial de Polícia, Divisão de Trânsito de Lisboa e Equipas de Prevenção e Reação Imediata, num total de cerca de uma centena de operacionais.

Os suspeitos detidos foram notificados para comparecer junto dos serviços do Ministério Público, indica ainda a PSP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG