Procuravam um planeta. Deram com uma anã castanha

Projeto de ciência cidadã em astronomia para encontrar o nono planeta do sistema solar já conta com 38 milhões de voluntários

Ainda não é o tal planeta nove, como lhe chamam, mas os resultados da busca que foi lançada online, em fevereiro, no âmbito de um projeto de ciência cidadã, na plataforma Zooniverve, já deu o primeiro fruto: a descoberta de uma nova anã castanha, um objeto celeste que é uma espécie de estrela falhada - não chegou a ter a massa suficiente para ter as reações nucleares próprias das estrelas.

A nova anã castanha, que está a cem anos-luz do Sol, foi detetada graças aos internautas que desde o início se dedicaram a classificar os muitos milhões de imagens do céu que os promotores do projeto puseram online.

Bastaram, aliás, seis dias de projeto, que foi designado Backyard Worlds: Planet 9, e que é apoiado pela NASA, para que uma série de participantes alertassem a equipa de astrofísicos para um conjunto específico de imagens em que parecia haver qualquer coisa. A descoberta foi depois confirmada através de observações com um teles-cópio em infravermelhos e acaba de ser publicada na revista científica Astrophysical Journal Letters.

"Fiquei tão orgulhosa dos nossos voluntários quando vimos aquele novo mundo frio a materializar-se", afirmou Jackie Faherty, do Museu Americano de História Natural e uma das astrofísicas do projeto. "Foi um momento bom para a ciência", sublinhou.

Entretanto, já há mais 12 desses bons momentos a caminho, se os outros tantos pontinhos também já identificados como potenciais candidatos a anãs castanhas se confirmarem nas próximas semanas, como escreve o coordenador do projeto, Marc Kuchner, no blogue onde vai dando notícias sobre os avanços do Backyard Worlds: Planet 9.

Neste momento, já são mais de 38 milhões os voluntários que se juntaram ao projeto, que tem por objetivo a classificação dos também muitos milhões de imagens que foram captadas pelo satélite Wide da NASA, que entre 2009 e 2011 fez um registo sistemático do céu em infravermelhos.

Agora, o projeto Backyard está a passar todas essas imagens a pente fino graças à participação dos voluntários, para identificar novos objetos celestes e, quem sabe, também o tal planeta 9, que já se sabe que não é Plutão. Tudo indica, no entanto, que ele há de lá estar, naquela zona de fronteira do sistema solar. Ou seja, a mais esperada das descobertas ainda está para chegar.

Para participar nesta aventura científica basta ter um computador ligado à internet, ir lá ao site do projeto - em https://www.zooniverse.org/projects/marckuchner/backyard-worlds-planet-9 - seguir as instruções e começar a classificar as imagens.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG