Pena suspensa para autor de duplo assalto em Águeda

Em dez dias, indivíduo assaltou a mesma loja duas vezes. Confessou os crimes e diz ter ficado "desnorteado" devido ao desemprego

O Tribunal de Aveiro condenou esta sexta-feira a cinco anos de prisão, com pena suspensa, um homem que roubou a mesma loja de compra e venda de ouro, em Águeda, por duas vezes no espaço de dez dias.

Durante a leitura do acórdão, a presidente do coletivo de juízes disse que ficaram provados os factos que constavam na acusação, uma vez que o arguido confessou os crimes, salientando que os assaltos "ocorreram com alguma proximidade temporal e que se tratou do mesmo estabelecimento comercial e da mesma funcionária".

Durante o julgamento, o arguido, que disse ter trabalhado como mordomo para a família real inglesa, a modelo Naomi Campbell e várias personalidades ligadas à Fórmula 1, alegou que ficou "desnorteado", após ter ficado desempregado, começando a consumir drogas e antidepressivos.

"Esta explicação de que estava habituado a viver bem e de um momento para o outro a sua vida se desmoronou não pode servir de justificação para sair de arma branca em riste para assaltar o estabelecimento comercial mais próximo", disse a magistrada.

O arguido foi condenado a quatro anos de prisão por cada um dos dois crimes de roubo agravado de que estava acusado, tendo-lhe sido aplicada uma pena única de cinco anos de prisão, em cúmulo jurídico.

O coletivo de juízes decidiu, no entanto, suspender a pena, por igual período, com a condição de o arguido se sujeitar a regime de prova.

"Esperamos que isto tenha sido um caso isolado. O Tribunal está convencido que o senhor voltará a trabalhar e a endireitar a sua vida e não voltará a praticar crimes", disse a juíza presidente.

Além da pena de prisão, o arguido foi ainda condenado a pagar 750 euros por uma contraordenação, resultante de duas réplicas de armas de fogo que foram encontradas na sua posse.

Foi ainda determinada a cessação da medida de coação de prisão domiciliária a que o arguido se encontrava sujeito.

O primeiro assalto ocorreu na manhã do dia 23 de abril de 2016. Segundo a acusação o arguido entrou no estabelecimento, ameaçou a funcionária com uma faca, e fugiu com mais de dois mil euros em dinheiro.

Nove dias depois, o arguido voltou ao mesmo local e, desta vez, retirou da carteira da funcionária cerca de mil euros em dinheiro.

O mordomo foi detido pela GNR em maio passado na Vagueira, em Vagos, onde reside, transportando um saco plástico contendo roupa e calçado que se suspeita possa ter sido utilizado nos crimes.

O arguido tinha ainda na sua posse duas pistolas antigas que também foram apreendidas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG