Emigrante foi morta em casa de português que morreu em Lisboa

Maria da Cruz terá sido morta à facada no apartamento de um português, que terá morrido em Lisboa a 19 de abril

O caso da emigrante portuguesa encontrada desmembrada no rio Elster em Leipzig, na Alemanha, está a ganhar um novo rumo e as autoridades locais acreditam que esta terá sido morta no apartamento de um português.

Segundo a imprensa local, citada pelo Jornal de Notícias, as autoridades acreditam que Maria da Cruz, de 43 anos, terá sido morta à facada num apartamento no bairro de Grunau, local onde a polícia terá encontrado vestígios de sangue da vítima, que foi posteriormente atirada ao rio junto a uma ponte.

O tronco da mulher foi encontrado por um transeunte, na passada quinta-feira. Os restantes membros foram localizados no dia seguinte. A identificação só foi possível depois da autópsia, pois o cadáver não tinha quaisquer documentos de identificação.

O apartamento onde ocorreu o homicídio pertence a um português chamado Jorge.P, de 38 anos, que voltou para Portugal no início do mês de abril e terá morrido em Lisboa, no dia 19, desconhecendo-se ainda as circunstâncias. O inquilino acolhia regularmente Maria da Cruz, que não possuía residência fixa e tinha emigrado para a Alemanha há cinco anos com um companheiro, António M., do qual estava separada recentemente.

A mulher estava desaparecida desde dia 9 de abril, quando foi vista pela última vez em Leipzig, num bar chamado "Blue Moon",

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG