Peniche cria movimento para lutar contra prospeção de petróleo

O movimento tem como objetivo lutar contra a exploração de petróleo na bacia de Peniche e no arquipélago das Berlengas

O movimento "Peniche Livre de Petróleo" anunciou esta quarta-feira a sua criação, com o objetivo de lutar contra a exploração de petróleo ao largo de Peniche pelo consórcio Repsol/Galp/Partex, que tem contratos assinados com o Estado desde 2007.

Num manifesto, que saiu na terça-feira de uma primeira sessão de esclarecimento, o Movimento "recusa a exploração de petróleo em Peniche e no resto do país", por "não aceitar hipotecar o futuro das próximas gerações a favor dos lucros imediatos de empresas milionárias".

O movimento sustenta que a bacia de Peniche e o arquipélago das Berlengas "são locais de preservação de biodiversidade e suporte a um conjunto de atividades socioeconómicas", dando os exemplos da pesca, da indústria do surf, das atividades de observação de aves e também dos passeis de barco.

"Com as perspetivas de exploração de petróleo, todo este património está em risco", alertam os ativistas.

O movimento enumera casos de falhas nos sistemas de segurança dos equipamentos de extração que causaram catástrofes ambientais, como uma explosão em 2010 no Golfe do México ou o rebentamento de um oleoduto em Michigan.

Na terça-feira, o movimento promove uma sessão pública de esclarecimento na praia do Baleal, Peniche.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.