Papa Francisco... Um homem de Deus e das redes sociais

Sumo Pontífice criou no sábado conta na rede social Instagram. Em menos de 48 horas registou 1,4 milhões de fãs

Pode dizer-se que o Papa Francisco não é só um homem de Deus, é também um homem das redes sociais e já tinha demonstrado a sua vontade de utilizar estes meios de comunicação como uma forma de levar a fé aos mais jovens. Desta vez, o Papa argentino criou uma conta na famosa rede social de partilha de fotografias, o Instagram, e o sucesso foi repentino: depois do lançamento da sua página, no sábado, angariou 1,4 milhões de seguidores.

O aviso já tinha sido feito no Twitter. "Inicio um novo caminho, no Instagram, para percorrer com vocês a estrada da misericórdia e da ternura de Deus", escreveu o Papa Francisco, no sábado. Mensagem que repetiu posteriormente no vídeo que colocou na sua conta no Instagram (www.instagram.com/franciscus). A primeira fotografia que partilhou é uma sua em oração, com um simples mensagem repetida em nove línguas: "Rezem por mim."

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ocupa o posto de "rei do Instagram" dos políticos, com 6,6 milhões de seguidores. Mas, a continuar com estes níveis de adesão, o Papa Francisco poderá não demorar muito tempo a alcançar esta fasquia.

Até ao momento, Francisco tem apenas quatro publicações e é até um vídeo, em que fala deste novo caminho, que tem mais gostos: perto de 506 mil e quase 13 mil comentários. A última publicação é uma imagem alusiva ao Domingo de Ramos, que antecipa a Semana Santa. Às 16.00 de ontem contava com mais de 113 mil gostos. De salientar que nenhuma das quatro publicações feitas até ontem tinha menos de cem mil gostos.

"Instrumento de união de povos"

A data de início para esta nova viagem na rede social não terá sido escolhida ao acaso: 19 de março assinala os três anos desde o início oficial do pontificado do Sumo Pontífice. Mas o processo começou a ser trabalhado antes. A 26 de fevereiro, Kevin Systrom, fundador do Instagram, encontrou-se com o Papa Francisco no Vaticano. "Falámos do poder das imagens como instrumento de união dos povos, de todas as culturas e todas as línguas", afirmou o Papa, no final do encontro com o empresário e milionário norte-americano.

Viagem no Twitter e Facebook

A utilização das novas tecnologias para passar mensagens não é uma novidade para o Vaticano, nem para o Papa Francisco. No caso do Twitter, rede social de mensagens curtas, a jornada iniciou-se em dezembro de 2012, pela mão do agora papa emérito Bento XVI. "Queridos amigos, eu estou muito feliz de entrar em contacto com vocês pelo Twitter. Obrigada por sua generosa resposta. Eu vos abençoo de todo o meu coração", foi a primeira mensagem colocada na rede por Bento XVI.

Tal como na altura, a conta no Twitter com o nome Pontifex pode ser encontrada em nove línguas, incluindo o português. Com a saída de Bento XVI a conta foi encerrada e posteriormente retomada pelo sucessor. A última mensagem de Francisco é de ontem de manhã: "Vamos até Ele e não tenhamos medo! Vamos para dizer-Lhe do profundo do nosso coração: "Jesus, confio em Ti!""

Antes de ser escolhido para Sumo Pontífice, Francisco já tinha uma conta no Facebook, outra das redes sociais mais usadas no mundo, com o nome de "Cardenal Jorge Bergoglio". Tem mais de 624 mil seguidores, número que subiu muito depois de ter sido escolhido como a figura mais importante do Vaticano. A página foi criada por Cecilia Fernandez Castro. A conta continua a ser usada, mas com menos regularidade do que o Twitter. A última publicação é de fevereiro.

Exclusivos