"Os meus heróis são todos os que conseguem viver com o ordenado mínimo nacional"

O famoso questionário de Proust respondido pela perfumista Cláudia Camacho.

A sua virtude preferida?
Resiliência.

A qualidade que mais aprecia num homem?
Maturidade.

A qualidade que mais aprecia numa mulher?
Elegância.

O que aprecia mais nos seus amigos?
Terem espírito empreendedor.

O seu principal defeito?
Ser demasiado honesta. Ser honesto é bom. Ser em demasia, não tanto. Mas não suporto a mentira piedosa.

A sua ocupação preferida?
Criar perfumes.

Qual é a sua ideia de "felicidade perfeita"?
Prefiro não fazer ideia.

Um desgosto?
Não me ter sido dada a oportunidade de acompanhar a minha mãe na sua velhice.

O que é que gostaria de ser?
Levei uma vida a chegar aqui: perfumista.

Em que país gostaria de viver?
Japão.

A cor preferida?
Preto.

A flor de que gosta?
Miosótis, Orquídeas, Magnólias, Violetas de Parma.

O pássaro que prefere?
Chapim-azul.

O autor preferido em prosa?
Oscar Wilde, Miguel Torga, Virgílio Ferreira, Raul Brandão, Jorge Luis Borges.

Poetas preferidos?
Camilo Pessanha, Antero de Quental.

O seu herói da ficção?
Não tenho.

Heroínas favoritas na ficção?
Não tenho.

Os heróis da vida real?
Todos os que conseguem viver com o ordenado mínimo nacional.

As heroínas históricas?
Mileva Maric, ou seja, a primeira mulher de Albert Einstein. Continuo a acreditar ter sido ela a formular a Teoria da Relatividade.

Os pintores preferidos?
Goya, Cézanne, Arpad Szenes, Sarah Afonso.

Compositores preferidos?
De Niccolò Paganini a Kurt Cobain. De Erik Satie a Robert Smith. De Frédéric Chopin a Daniel Knox.

Os seus nomes preferidos?
Laura, Leonor, Beatriz, Inês, António, Miguel, Gabriel, Henrique.

O que detesta acima de tudo?
A obediência cega. A submissão. O aceitar sem questionar.

A personagem histórica que mais despreza?
Todas as que usaram o seu poder para subjugar a Humanidade.

O feito militar que mais admira?
A Guerra das Laranjas, de 1801, e a luta pelo território de Olivença.

O dom da natureza que gostaria de ter?
Ressuscitar. E ser um Cupido sem margem para erro. A vida é tão curta para se perder tempo com a pessoa errada.

Como gostaria de morrer?
Livre.

Estado de espírito atual?
Deslumbrada. Vivo em constante fascínio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG