O vírus zika como nunca o viu: em 3D

Representação tridimensional do vírus apresenta nova perspetiva aos investigadores que procuram explicações para as consequências do zika

Apesar da gravidade da pandemia na América Latina, pouco se sabe em concreto sobre o vírus zika. Só quando houve suspeita de que o zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, poderia provocar malformações no feto, os cientistas começaram a dedicar-se ao vírus com maior premência e profundidade.

Numa altura em que as primeiras vacinas para combater o zika podem estar para breve, o estúdio de visualização biomédica Visual Science decidiu contribuir com uma nova perspetiva, criando aquele que é apresentado como o "primeiro modelo em 3D cientificamente preciso" do vírus, numa resolução ao nível do átomo.

Para produzir este modelo, a empresa, que é especialista em criar animações científicas de objetos nano e microscópicos, garante que recorreu às mesmas técnicas de bioinformática utilizadas pelas farmacêuticas que estão a conceber tratamentos para o zika.

A Visual Science também já criou simulações do vírus VIH, do ébola ou do vírus do papiloma humano.

Exclusivos