O nascer da Terra como nunca o viu

A NASA revela uma imagem de alta resolução do nosso planeta captada pela sonda Lunar Reconnaissance Orbiter.

"A imagem é simplesmente incrível", disse um dos responsáveis pelo projeto, Noah Petro, citado no comunicado da NASA.

"A imagem da Terra evoca a famosa foto "The Blue Marble" tirada pelo astronauta Harrison Schmidt durante a missão Apollo 17, há 43 anos, que também mostrava África em destaque", acrescentou o especialista da agência espacial norte-americana.

Lançada a 18 de junho de 2009, a sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) assiste a 12 "nasceres da Terra" diários. Contudo, os seus sete instrumentos estão normalmente apontados para a superfície lunar, pelo que raramente o fenómeno da Terra a aparecer por detrás da Lua é captado pelas câmaras.

A imagem agora divulgada é uma montagem de uma série de imagens tiradas a 12 de outubro, quando a sonda estava a 134 quilómetros acima da cratera lunar Compton.

"A partir da Terra, o nascer e o pôr da Lua são sempre momentos inspiradores", referiu o investigador principal do LRO, Mark Robinson. "No entanto, os astronautas lunares vão ver algo completamente diferente: vista da superfície lunar, a Terra nunca nasce nem nunca se põe. Como a lua está bloqueada pela força das marés, a Terra surge sempre no mesmo local acima do horizonte, variando apenas ligeiramente com o leve oscilar da Lua. A Terra pode não se mover através do 'céu', mas a vista não é estática. Os futuros astronautas vão ver os continentes a rodar e podem sempre ser atraídos pelo padrão das nuvens. A Terra nunca é visível do lado oculto da Lua; imaginem um céu sem Terra ou Lua. O que é que os exploradores do lado negro da Lua pensar sem uma Terra por cima das suas cabeças?", acrescentou.

A primeira imagem do nascer da Terra foi capturada pela Lunar Orbiter 1, em 1966. Mas a mais icónica é a da véspera de natal de 1968, capturada pela missão Apollo 8.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG