Mundo mostra-se solidário com Keaton Jones, vítima de bullying

A hashtag #standwithkeaton já foi usada em publicações no Instagram 4,020 vezes

Um vídeo de um rapaz do Tennessee, nos EUA, que conta o bullying de que é alvo pelos colegas, tornou-se viral, atingindo mais de 22 mil visualizações desde sexta-feira.

Keaton Jones, nas imagens filmadas pela sua mãe, descreve, em lágrimas, os maus tratos de que é vítima na escola que frequenta. O vídeo foi alegadamente filmado no carro da mãe durante a hora de almoço do aluno, que se escondia dos colegas. "Não está certo", diz Keaton, que afirma ser gozado pelo seu nariz e chamado de feio. Ao almoço, o rapaz afirma que os colegas lhe atiram com leite e põem presunto nas suas roupas. "Pessoas que são diferentes não precisam de ser criticadas por isso. Não é culpa delas", lamenta. "Se gozam contigo, não deixes que isso te afete. Sê forte."

O número de comentários que se seguiram nas redes sociais são mensagens de solidariedade em relação à situação de Keaton e incluem publicações de várias celebridades, entre as quais Mark Ruffalo, Chris Evans, Justin Bieber, Rihanna e Nickelback. A hashtag #standwithkeaton já foi usada em publicações no Instagram 4,020 vezes.

Mark Ruffalo e Chris Evans mostraram-se interessados em conhecer o rapaz, convidando-o a juntar-se a eles nas estreias dos seus filmes.

Justin Bieber publicou um vídeo em que elogia Keaton por passar uma mensagem a quem, tal como ele, sofre de maus tratos, "O facto de [Keaton] ainda ter a simpatia e compaixão para com os outros, quando está a passar pelo mesmo, mostra quem ele é. Uma lenda".

A banda Nickelback, que começa o seu discurso com uma citação, "A coragem é fogo e o bullying é fumo", pretende ajudar no que for preciso.

Keaton Jones teve a oportunidade de conhecer entretanto o jogador de futebol americano Jarrett Guarantano, que partilhou o encontro nas redes sociais. "Foi inacreditável conhecê-lo e perceber que temos muito em comum", conta, "agora tenho o irmão mais novo que sempre quis!".

O Bullying é um ato de violência comum e, em Portugal, só nas escolas foram registados pela Associação Portuguesa de Apoio À Vítima (APAV) 339 casos entre 2013 e 2016.

Portugal é o 15.º país com mais relatos de bullying na Europa e na América do Norte, segundo um estudo divulgado em novembro pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Exclusivos