Milhares de embalagens de sal fino recolhidas no Sado em ação ambiental

242 voluntários já participaram na campanha de recolha de lixo no estuário do Sado, que se iniciou em março

Mais de 10 mil embalagens de sal fino, em plástico, foram recolhidas no estuário do rio Sado em seis ações da campanha "Mariscar SEM Lixo", promovida pela cooperativa de educação marinha Ocean Live, foi hoje anunciado.

"Em seis de 13 ações desta campanha foram recolhidas 10.595 embalagens de sal fino deixadas pelos mariscadores no estuário do Sado, plástico que polui este estuário e que resulta do mau hábito dos mariscadores" de deixarem as embalagens de sal vazias na maré", refere aquela organização sem fins lucrativos em comunicado.

A sexta ação da Campanha de Sensibilização e Limpeza de Praia "Mariscar SEM Lixo", "um dos pilares da iniciativa 'Guardiãs do Mar'", decorreu no sábado, entre as 08:00 e as 19:30, na caldeira de Tróia, e contou com 29 voluntários.

A ação decorreu durante as Festas da Nossa Senhora do Rosário de Tróia, "festas da comunidade piscatória e lúdica local, comunidade que pratica a mariscagem do casulo e do lingueirão, em parte responsável pelas embalagens de sal deixadas na beira-mar. Outra parte é causada por mariscadores fora da região de Setúbal".

Nesta ação, os voluntários recolheram 2.580 embalagens de sal fino e 560 quilogramas de lixo.

"Além da sensibilização através da abordagem direta aos mariscadores, a equipa da Ocean Alive, participou em direto na rádio da festa, com intervenções de sensibilização e demonstração do impacto do lixo marinho proveniente dos maus hábitos da mariscagem. Foi também improvisada uma instalação para a sensibilização dos participantes, utilizando algumas das milhares de embalagens anteriormente recolhidas na caldeira de Tróia", adianta a cooperativa no comunicado hoje divulgado.

De acordo com a Ocean Live, a caldeira de Tróia "faz parte da rede de sítios prioritários para a conservação da natureza na Europa e integra o sítio Estuário do Sado da Rede Natura 2000".

"É considerada uma maternidade de vida marinha e oferece abrigo e alimentação a muitas aves marinhas. No entanto, é, por si só, o local do estuário onde há mais acumulação de embalagens de sal. Só na caldeira de Tróia foram recolhidas 5.780 embalagens, enquanto no conjunto das várias praias da margem norte do estuário do Sado, foram contabilizadas 4.815 embalagens recolhidas", acrescenta.

Nas seis primeiras ações desta campanha, que se iniciou em março, participaram 242 voluntários, que recolheram, além das 10.595 embalagens de sal fino, 4.030 quilogramas de lixo das margens do estuário do Sado.

A iniciativa "Guardiãs do mar: Salvar o Ambiente, Preservar Empregos" da Ocean Alive "visa envolver as mulheres pescadoras do estuário do Sado na proteção das pradarias marinhas deste estuário".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG